sicnot

Perfil

Sociedade das Nações

O Tribunal Penal Internacional

As execuções mediáticas do autoproclamado Estado Islâmico, os raptos de crianças e a política de terra queimada do Boko Haram e do Al Shabab, na Nigéria, no Quénia e na Somália, ou o envio de centenas de imigrantes para a morte, pelas redes de tráfico que atuam no Mediterrâneo, são alguns dos rostos dos modernos crimes contra a Humanidade. O Tribunal Penal Internacional, que entrou em vigor em 2002 em Haia, serve para julgar estes crimes.

Esta semana, no Sociedade das Nações, Leila Sadat, diretora da Iniciativa Crimes contra a Humanidade, explica o modo de funcionamento do TPI. A jurista discute de que forma o facto de o TPI trabalhar em tempo real o torna diferente dos outros tribunais.

O Sudão é um dos nove países que estão sob investigação do TPI, todos eles africanos. Omar al-Bashir foi o primeiro Presidente em exercício acusado pelo TPI, por crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio na região do Darfur, onde desde 2003 foram mortas mais de 300 mil pessoas, segundo as Nações Unidas.

Desde que o tribunal acionou o processo contra Bashir, em 2009, o presidente do Sudão só viajava para países que não aderiram ao Estatuto de Roma. A sua viagem recente à África do Sul para participar numa cimeira da União Africana expôs uma das fragilidades desta instituição: um juiz sul-africano cumpriu o pedido do Tribunal Penal Internacional e reteve o chefe de estado, mas a extradição não aconteceu. Bashir acabou por abandonar a África do Sul, contrariando os próprios tribunais do país.

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.