sicnot

Perfil

Sociedade das Nações

O Tribunal Penal Internacional

As execuções mediáticas do autoproclamado Estado Islâmico, os raptos de crianças e a política de terra queimada do Boko Haram e do Al Shabab, na Nigéria, no Quénia e na Somália, ou o envio de centenas de imigrantes para a morte, pelas redes de tráfico que atuam no Mediterrâneo, são alguns dos rostos dos modernos crimes contra a Humanidade. O Tribunal Penal Internacional, que entrou em vigor em 2002 em Haia, serve para julgar estes crimes.

Esta semana, no Sociedade das Nações, Leila Sadat, diretora da Iniciativa Crimes contra a Humanidade, explica o modo de funcionamento do TPI. A jurista discute de que forma o facto de o TPI trabalhar em tempo real o torna diferente dos outros tribunais.

O Sudão é um dos nove países que estão sob investigação do TPI, todos eles africanos. Omar al-Bashir foi o primeiro Presidente em exercício acusado pelo TPI, por crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio na região do Darfur, onde desde 2003 foram mortas mais de 300 mil pessoas, segundo as Nações Unidas.

Desde que o tribunal acionou o processo contra Bashir, em 2009, o presidente do Sudão só viajava para países que não aderiram ao Estatuto de Roma. A sua viagem recente à África do Sul para participar numa cimeira da União Africana expôs uma das fragilidades desta instituição: um juiz sul-africano cumpriu o pedido do Tribunal Penal Internacional e reteve o chefe de estado, mas a extradição não aconteceu. Bashir acabou por abandonar a África do Sul, contrariando os próprios tribunais do país.

  • As vantagens de comprar online
    8:03
  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Filho de Trump critica mayor de Londres por palavras de 2016

    Ataque em Londres

    Donald Trump Júnior criticou o presidente da Câmara de Londres logo a seguir ao ataque de quarta-feira que fez três mortos e mais de 40 feridos. O filho de Presidente publicou no Twitter uma reação a uma declaração de Sadiq Khan de setembro de 2016. Para o Presidente dos EUA, o ataque em Londres é "uma grande notícia".

  • Marcelo reuniu-se com líderes europeus para falar do futuro da UE
    2:31

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa esteve esta quarta-feira em Bruxelas e participou numa homenagem às vítimas do atentado em Bruxelas, onde colocou uma coroa de flores junto ao monumento.O Presidente da República esteve também reunido com os líderes das principais instituições europeias para falar sobre o futuro da UE.