sicnot

Perfil

Sociedade das Nações

Perseguição religiosa no Paquistão

A seguir ao Budismo e ao Islamismo, o Cristianismo é uma das grandes religiões da Ásia, incluindo em países com população numerosa, como as Filipinas, a Indonésia ou até a Coreia do Sul. Mas o Paquistão e a Índia são casos diferentes. Séculos depois da presença portuguesa, os católicos são uma pequena minoria, com cerca de 3.8% de fiéis nos dois países.

© Mani Rana / Reuters

Esta semana, no Sociedade das Nações, o arcebispo Joseph Coutts, patriarca católico de Carachi, analisa os principais problemas que as minorias religiosas enfrentam no Paquistão. O quotidiano, a política e a sociedade, os Talibãs e as leis sobre a blasfémia são os principais temas em destaque nesta entrevista.

A tradição tolerante e de estado de direito do Paquistão tem sido subvertida, nas últimas décadas, por correntes de intolerância, sobretudo com a ascensão do Jihadismo. A minoria cristã no Paquistão tem sido alvo de vários ataques. Em março, dois atentados bombistas contra igrejas cristãs na cidade de Lahore provocaram 14 mortos e 70 feridos.

  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Hospitais já registam picos de afluência apesar de casos de gripe serem ainda poucos
    2:13

    País

    A gripe ainda não chegou em força, mas nos últimos dias foram vários os hospitais com grande afluências de doentes, sobretudo idosos e com infeções respiratórias. Em alguns dias desta semana o número de doentes disparou para mais de 600, como disse à SIC o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.