sicnot

Perfil

Sociedade das Nações

Quem chamou a troika?

No dia 13 de maio de 2011 o ministro de Estado e das Finanças e o governador do Banco de Portugal enviavam aos responsáveis pela Comissão Europeia, Eurogrupo, Ecofin e Banco Central Europeu, com cópia para o presidente do FMI, uma carta de intenções. Nela se pedia, a troca de profundas reformas do estado e da sociedade, um plano de auxílio financeiro para o país.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

Quatro dias depois, assinava-se em Lisboa uma série de memorandos com o trio de financiadores, que condicionariam profundamente a vida portuguesa. Foi o começo da presença da chamada troika em Portugal. O Programa de Assistência Económica e Financeira terminou em maio de 2014, mas os acontecimentos de maio de 2011 foram um dos principais temas da campanha para as eleições legislativas.

Eduardo Catroga, o economista indicado pelo PSD para acompanhar, em 2011, as negociações do governo socialista com a troika é o convidado do Sociedade das Nações desta semana. O antigo ministro das finanças recorda o seu envolvimento neste processo.

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John Mccain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06