sicnot

Perfil

Sociedade das Nações

"A Europa subestima a Rússia"

O Presidente da Bulgária considera que "a Europa tem subestimado a Rússia" e que Moscovo está a mudar o jogo geopolítico. Em entrevista no programa Sociedade das Nações, Rosen Plevneliev explica ainda que "a anexação da Crimeia foi planeada há vários anos".

© Stoyan Nenov / Reuters

Rosen Plevneliev, que defende uma resposta europeia unida e coesa à atual crise dos refugiados, explica que a Bulgária tem sido o único país que regista todos os refugiados e que tem trabalhado para manter as fronteiras externas da UE seguras. O convidado do Sociedade das Nações critica o facto de alguns estados terem reativado temporariamente os controlos fronteiriços e afirma que "Schengen é o cerne do sonho europeu".

O presidente búlgaro esteve esta semana esta semana em Lisboa, numa visita de Estado de dois dias a convite do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva. A Bulgária é um dos países da União Europeia (UE) na rota terrestre seguida por milhares de refugiados provenientes da Ásia e Médio Oriente, fluxo que aumenta consideravelmente com o inverno, altura em que as condições no Mediterrâneo dificultam ainda mais a arriscada travessia.

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • "Toda a gente merece direitos iguais"
    0:14

    Mundo

    A polícia de Istambul montou cordões de segurança para dispersar a multidão que se juntou para a Marcha do Orgulho Gay, este domingo. O Governo proibiu a marcha por considerar que representa um risco para a segurança pública. Uma das ativistas fala numa decisão sem sentido, e diz que todas as pessoas merecem direitos iguais.

  • "Ela veio lá de fora e começou a atropelar as pessoas"
    0:43

    Mundo

    O atropelamento deste sábado em Newcastle, no Reino Unido, provocou pelo menos seis feridos. No local, as pessoas relatam momentos de pânico. Uma testemunha afirma que a condutora nunca perdeu o controlo do carro e que dirigiu intencionalmente contra a multidão.