sicnot

Perfil

tempo extra.jpg

Tempo Extra

3ª FEIRA 23:00

Tempo Extra

"É o próprio diretor de conteúdos da BTV que está a pôr em causa Luís Filipe Vieira"

"É o próprio diretor de conteúdos da BTV que está a pôr em causa Luís Filipe Vieira"

Rui Santos considera que o facto de Pedro Guerra não ter negado a existência dos e-mails comprovam a veracidade das acusações do FC Porto. O comentador da SIC teme o poder perverso dos ex-árbitros de futebol e fala de um possível envolvimento de Luís Filipe Vieira.

  • "Não me lembro da troca de mails, não estou a dizer que não existiu"
    0:45

    Desporto

    O diretor de conteúdos da Benfica TV não se lembra de ter trocado e-mails com o ex-árbitro Adão Mendes, caso que ficou conhecido como o Benfica Gate. Este domingo, em declarações à TVI, Pedro Guerra disse estar a ser vítima de uma cabala e apelou ao boicote dos árbitros aos jogos do FC Porto. A polémica com alegados benefícios dos árbitros ao Benfica nasceu na semana passada, com o diretor de comunicação dos dragões a acusar Pedro Guerra e Adão Mendes de participarem num esquema de corrupção para favorecer os encarnados.

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.