sicnot

Perfil

Sandbox

Das cáries ao cancro: as amarguras do açúcar

A pediatra Júlia Galhardo é responsável pela Consulta de Obesidade da Unidade de Diabetes e Endocrinologia Pediátrica do Hospital D. Estefânia, em Lisboa. Escreve para a Grande Reportagem SIC sobre os efeitos na saúde do consumo excessivo de açúcar. 


Na alimentação atual, a sacarose – o açúcar adicionado – é não só o ingrediente mais utilizado, mas também o mais nefasto. Além de constituir uma fonte de calorias vazias (sem proteínas, ácidos gordos essenciais, vitaminas, minerais ou fibras) com consequente risco de carências nutricionais, contribui ainda para o aparecimento de cáries dentárias e de inúmeras doenças associadas a desregulação metabólica que, nas últimas décadas, têm vindo a aumentar exponencialmente e a surgir em idades cada vez mais precoces, prejudicando gravemente a saúde:

1. Resistência à insulina e diabetes tipo 2

O pâncreas produz uma hormona, a insulina, que funciona como uma chave para abrir as nossas células à entrada do açúcar presente no sangue (glicose). As alterações provocadas pelo excesso contínuo de açúcar na alimentação obrigam à produção de uma maior quantidade desta hormona, de forma a manter a glicose em níveis normais. Esta adaptação temporária é designada por resistência à insulina, ou pré-diabetes. Contudo, com a continuação dos excessos alimentares e do aumento do peso, a quantidade de açúcar no sangue começa a subir porque a insulina produzida no pâncreas, que se vai esgotando, torna-se insuficiente para a remover da circulação, passando aquela pessoa a ter diabetes tipo 2. Este excesso constante de açúcar resulta num processo de “caramelização” dos vasos sanguíneos, que ficam mais rígidos e rugosos, lesando-os e conduzindo progressivamente a doença renal, oftalmológica e cardiovascular.

2. Hipertensão arterial, aumento do ácido úrico e do mau colesterol, fígado gordo e cirrose

O açúcar adicionado (sacarose) é constituído por duas partes: a glicose (fonte primária de energia para todas as células) e a frutose (um açúcar presente nos vegetais – como a cana de açúcar – que não produzimos e de que não necessitamos). Enquanto a glicose é armazenada naturalmente no fígado, de forma a estar disponível em situações de carência, a frutose tem de ser modificada (metabolização) para poder ser aproveitada. Durante este processo, a frutose é transformada em gordura, sendo ainda produzido ácido úrico e substâncias que promovem o aumento da tensão arterial. Parte desta gordura acumula-se no fígado, inflamando-o e dando origem ao chamado fígado gordo. Esta agressão, se persistente, pode originar “cicatrizes” que culminam em cirrose, tal como acontece com o consumo excessivo de álcool. Paralelamente, a restante gordura é libertada na corrente sanguínea, depositando-se nos vasos e contribuindo para o aparecimento de aterosclerose e doença cardiovascular.

Importa salientar que a quantidade de frutose presente na fruta, além de ser muito inferior à existente no açúcar adicionado, é acompanhada por fibras que diminuem a quantidade que é absorvida no intestino. Desta forma, é praticamente impossível serem atingidos níveis de frutose no organismo capazes de provocar as alterações nefastas descritas acima.

3. Desregulação da saciedade, doenças do comportamento alimentar e obesidade

Recentemente, vários estudos têm demonstrado que a frutose contida no açúcar adicionado não só é pouco saciante (ou seja, não elimina o nosso apetite), como desregula mesmo as hormonas que controlam o apetite (designadamente a grelina), promovendo o aumento da ingestão e, consequentemente, o indesejável aumento de peso. 

Por outro lado, os açúcares atuam ainda nos centros cerebrais relacionados com a sensação de prazer e bem-estar, tornando-se viciantes, como se fossem drogas de adição, e perpetuando o consumo compulsivo de alimentos hipercalóricos e ricos em sal, particularmente em situações de stress emocional.

4. Doenças vasculares

O consumo crónico excessivo de açúcar, devido às alterações metabólicas que produz (obesidade, diabetes, aumento das gorduras no sangue – essencialmente triglicerídeos mas também colesterol - e hipertensão arterial), é um dos principais factores que estão na origem de doenças do coração (enfartes do miocárdio), acidentes vasculares cerebrais, doença vascular periférica (com amputação dos pés e pernas) e morte súbita.

5. Cancro

Existe uma clara associação entre o consumo excessivo de sacarose e o aparecimento de diversos tipos de cancro, nomeadamente da mama, da próstata e do intestino grosso (cólon). Se, por um lado, o aumento generalizado da inflamação estimula a multiplicação desregulada das células anormais, por outro, a disponibilidade de açúcar e de insulina alimenta-as, potenciando o seu crescimento.

Em suma, o açúcar amplamente adicionado aos alimentos, não é mais do que um veneno cujos minutos de doçura e prazer na boca não compensam os de amargura e de anos de saúde perdidos ao longo da vida.

  • Bernardo Silva no Manchester City

    Desporto

    O internacional português Bernardo Silva é o mais recente reforço do Manchester City, equipa inglesa treinada por Pep Guardiola, num contrato válido por cinco temporadas.

    SIC

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • Sérgio Conceição no radar do FC Porto

    Desporto

    O treinador português e os seus representantes têm marcada para esta sexta-feira uma reunião decisiva com o FC Porto. Sérgio Conceição poderá ser o sucessor de Nuno Espírito Santo no comando técnico dos dragões.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mas do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • EUA testam sistema de defesa antimíssil

    Mundo

    Os Estados Unidos realizam na próxima semana um teste ao seu sistema de defesa antimíssil que, pela primeira vez, terá em consideração uma eventual ameaça de um míssil balístico intercontinental, ação que terá em mente as recentes ameaças norte-coreanas.

  • Cão interrompe jornal em direto
    1:00

    Pequenas grandes histórias

    Aconteceu na Rússia, na estação de televisão Mir24 TV. A pivô, Ilona Linarte, viveu um momento insólito, no estúdio, quando apresentava o jornal. Um cão de raça labrador preto apareceu atrás dela aos saltos. A pivô foi apanhada de surpresa e reagiu com humor.