Lusa

Autores: "Filme do Desassossego", livro "Uma Viagem à Índia" e álbum "Mongrel" entre vencedores dos prémios da SPA/RTP

Susana Paula

Lisboa, 22 fev (Lusa) - O "Filme do Desassossego", do realizador João Botelho, "Uma Viagem à Índia", do escritor Gonçalo M. Tavares, e o álbum "Mongrel", do trio do pianista Mário Laginha, foram alguns dos premiados na segunda-feira à noite pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) e RTP.

Lisboa, 22 fev (Lusa) - O "Filme do Desassossego", do realizador João Botelho, "Uma Viagem à Índia", do escritor Gonçalo M. Tavares, e o álbum "Mongrel", do trio do pianista Mário Laginha, foram alguns dos premiados na segunda-feira à noite pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) e RTP.

Na segunda edição dos prémios Melhor Autor, cuja cerimónia de entrega foi transmitida pela RTP1, o "Filme do Desassossego", de João Botelho, arrebatou o prémio de melhor filme, vencendo "José e Pilar", de Miguel Gonçalves Mendes, e "Mistérios de Lisboa", de Raúl Ruiz.

O livro "Uma Viagem à Índia", do escritor Gonçalo M. Tavares, venceu o prémio de melhor ficção narrativa.

Ainda na área da Literatura, "Depois de Dezembro", do poeta António Carlos Cortez, e "A Contradição Humana", um livro infanto-juvenil de Afonso Cruz, foram os restantes vencedores.

Na Música, o pianista Mário Laginha e o seu trio arrecadaram o prémio de melhor disco com "Mongrel", ganhando ao álbum homónimo de Carlos do Carmo (fadista) e Bernardo Sassetti (pianista) e ao trabalho de Júlio Pereira intitulado "Graffiti".

Os prémios das categorias de Cinema, Rádio, Televisão, Dança, Música, Teatro, Literatura e Artes Visuais foram decididos por voto secreto de júris competentes das diversas áreas.

Já os prémios Vida e Obra (ensaísta Eduardo Lourenço), melhor programação autárquica (Câmara de Lisboa) e melhor autor estrangeiro (cineasta e encenador francês Patrice Chéreau) são da responsabilidade da direção da SPA.

Os prémios da SPA são atribuídos em parceria com a RTP.





Segue a lista completa de vencedores dos 25 prémios da II Edição dos Prémios Melhor Autor da Sociedade Portuguesa de Autores/RTP:





Cinema:

Melhor Argumento: "Mistérios de Lisboa", de Carlos Saboga;

Melhor Atriz: Beatriz Batarda, em "Duas Mulheres";

Melhor Ator: Cláudio da Silva, no "Filme do Desassossego";

Melhor Filme: "Filme do Desassossego", de João Botelho.





Artes Visuais:

Melhor Exposição de Artes Plásticas: "Viva a República!", de Henrique Cayatte;

Melhor Trabalho de Fotografia: "Street Photography -- Exposição Tributo", de Rui Palha;

Melhor Trabalho Cenográfico: "Húmus", de Luís Castro.





Música:

Melhor Canção: "Retrato", de Mário Cláudio e Bernardo Sassetti (no disco Carlos do Carmo e Bernardo Sassetti);

Melhor Disco: "Mongrel", de Mário Laginha Trio;

Melhor Trabalho de Música Erudita: "Concerto para Piano", de Sérgio Azevedo.





Literatura:

Melhor Ficção Narrativa: "Uma Viagem à Índia", de Gonçalo M. Tavares;

Melhor Livro de Poesia: "Depois de Dezembro", de António Carlos Cortez.

Melhor Literatura Infanto-Juventil: "A Contradição Humana", de Afonso Cruz.





Teatro:

Melhor Texto Original: "A Casa dos Anjos", de Luís Mário Lopes;

Melhor Atriz: Isabel Abreu, em "BlackBird";

Melhor Ator: Miguel Guilherme, em "O Senhor Puntila e o seu Criado Matti";

Melhor Espetáculo de Teatro: "Quixote", de João Brites.





Dança:

Melhor Coreografia: "Paisagens - Onde o Negro é Cor", de Paulo Ribeiro.





Rádio:

Melhor Programa de Rádio: "Pessoal e... Transmissível", de Carlos Vaz Marques (TSF).





Televisão:

Melhor Programa de Informação: "Condenados", de Sofia Pinto Coelho (SIC).

Melhor Programa de Ficção: "Noite sangrenta", de Tiago Guedes e Frederico Serra (RTP)

Melhor Programa de Entretenimento: "As Horas do Douro", de António Barreto e Joana Pontes (RTP)





Prémios Especiais:

Melhor Programação Autárquica: Câmara Municipal de Lisboa;

Autor Internacional: Patrice Chéreau;

Vida e Obra: Eduardo Lourenço.





SYP.

Lusa/Fim.