Lusa

Neurologia: Privação de sono aumenta risco de diabetes, depressão, cancro e doenças cardiovasculares - especialista

Ana Paula Martinho

Porto, 31 mar (Lusa) -- A neurologista Teresa Paiva alertou hoje, no Porto, para os efeitos da redução do sono ou do dormir em excesso, associando-os a um risco aumentado de hipertensão arterial, diabetes, obesidade, doenças cardiovasculares, cancro, depressão e de acidentes.

"O que as pessoas têm de perceber é que para além destes efeitos orgânicos sobre a saúde, reduzir o sono tem outros efeitos muito mais complicados ao nível da cognição. As pessoas começam a pensar mal, a ter graves problemas de memória, a ter lapsos e, fundamentalmente, perdem os seus equilíbrios emocionais", afirmou em declarações à Lusa.

Teresa Paiva, que hoje abordará no Simpósio Aquém e Além do Cérebro as "Relações mútuas entre sono, sonhos e sociedade", salientou que "tanto a parte cognitiva, como a emocional são altamente recicladas e reorganizadas no sono e, portanto, não dormir é extremamente perigoso".

  • Esta casa foi construída por uma impressora 3D
    16:27