Lusa

UNESCO: Portas saúda classificação de fortificações de Elvas e elogia trabalho diplomático

Nuno Simas

Lisboa, 30 jun (Lusa) -- O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, saudou hoje a classificação pela UNESCO da fortificação de Elvas e elogiou o "trabalho diplomático de alta qualidade" do Estado português.

"Elvas triunfou com um forte consenso e ultrapassando dúvidas do comité de património da UNESCO. Isso significa que Portugal fez um trabalho diplomático de alta qualidade, demonstrando, país a país, voto a voto, os méritos da candidatura", afirma Paulo Portas, numa declaração escrita enviada à agência Lusa.

Na mensagem, o ministro presta ainda "uma veemente homenagem aos promotores da candidatura, ao presidente da Comissão Nacional da UNESCO - embaixador Almeida Ribeiro - e ao nosso embaixador na UNESCO".

  • Bill Cosby considerado predador sexual violento e condenado a pena de prisão

    Mundo

    O ator norte-americano Bill Cosby foi esta terça-feira condenado a uma pena de prisão de três a 10 anos e considerado um "predador sexual violento", por um juiz da Pensilvânia. A classificação significa que o homem de 81 anos terá de receber aconselhamento durante o resto da vida, assim como o seu nome irá aparecer no registo dos criminosos sexuais.

    SIC

  • O que está a mudar na Arábia Saudita

    Mundo

    A luta contra a discriminação de género e as reformas na cultura continuam a dar largos passos, na Arábia Saudita. A mais recente novidade é que, pela primeira vez, uma mulher foi autorizada a apresentar as notícias, na televisão estatal. Desde as mulheres que já podem conduzir ao regresso do cinema, saiba o que está a mudar no país conservador.

    Ana Rute Carvalho

  • A tecnologia que promete melhorar o estacionamento nos centros urbanos
    8:05
  • Um em cada três trabalhadores em risco de esgotamento profissional
    1:11
  • Brasileiro terá escondido provas do caso Lava Jato em casas em Lisboa
    2:15

    Operação Lava Jato

    A Polícia Judiciária fez buscas e apreensões em Lisboa, no âmbito do caso brasileiro Lava Jato. A operação ocorreu a partir de um pedido de cooperação internacional das autoridades brasileiras. O alvo da operação é um homem brasileiro acusado de envolvimento com luvas. Mário de Miranda terá escondido provas e documentos em casas da capital portuguesa.