Cultura

Filmes "Cartas da Guerra" e "Cinzento Negro" grandes vencedores dos Prémios Áquila 2016

European Film Awards

Os filmes "Cartas da Guerra" e "Cinzento e Negro" foram os grandes vencedores dos Prémios Áquila 2016, que distinguem as melhores produções portuguesas de cinema e televisão e que foram anunciados este domingo.

"Cartas da Guerra" venceu o galardão de melhor filme e de melhor argumento, pelo trabalho de Ivo M. Ferreira e de Edgar Medina, enquanto o filme "Cinzento e Negro" arrebatou os prémios de melhor realizador, atribuído a Luís Filipe Rocha, e de melhor ator principal, para Filipe Duarte.

Maria Rueff venceu o prémio de melhor atriz principal pelo trabalho no filme "O Amor é lindo... Porque Sim!", José Raposo o galardão de melhor ator secundário pela interpretação no filme "O Leão da Estrela" e São José Lapa o prémio de melhor atriz secundária pelo papel no filme "A Canção de Lisboa.

Os prémios Áquila 2016 atribuíram o galardão de melhor telenovela a "A Impostora" e o prémio de melhor série à série juvenil Massa Fresca - ambas produzidas pela Plural Entertainment.

Ainda na categoria televisão, Diogo Infante venceu o prémio de melhor ator principal ('A Impostora') e Isabel Abreu o de melhor atriz principal ('A Rainha das Flores'), enquanto Tiago Felizardo venceu o prémio de melhor ator secundário e Paula Lobo Antunes o de melhor atriz secundária, ambos pelos seus papéis na telenovela 'Santa Bárbara'.

Foram anunciados também os três Prémios Especiais Áquila: o Condor (ou revelação) para a atriz Mariana Pacheco, o Fénix (de carreira) para o ator Luís Vicente e o Excelsior (papel no setor) ao CineGuia Portugal, um diretório só para empresas e profissionais do setor do cinema, televisão e publicidade

Ao contrário das duas edições anteriores, este ano os prémios foram anunciados numa transmissão em direto no canal Cinemundo, sem uma gala de entrega.

Estes prémios são uma iniciativa da Fénix Associação Cinematográfica, cujos vencedores são escolhidos pelos espetadores portugueses por votação 'online'.

Lusa

  • Um resgate da memória e uma homenagem às mulheres
    8:39

    Cultura

    Já está nos cinemas "Cartas da Guerra". Ivo Ferreira inspirou-se nas cartas que António Lobo Antunes escreveu à mulher, no início dos anos 70, enquanto esteve destacado como médico em Angola durante a guerra colonial. Para o realizador, o filme trata-se de um resgate da memória.

  • Ivo M. Ferreira filma memórias da Guerra Colonial
    13:15

    Cartaz

    Inspirando-se em António Lobo Antunes, Ivo M. Ferreira revisita as memórias da Guerra Colonial em “Cartas da Guerra”. João Lopes comenta as novidades da semana, destacando ainda “11 Minutos”, o mais recente trabalho do polaco Jerzy Skolimowski, e “Florence, uma Diva Fora de Tom”, com Meryl Streep.

  • "Cartas da Guerra" traz memórias do ultramar
    2:03

    Cultura

    "Cartas da Guerra" chega às salas de cinema na próxima semana. O filme é baseado na obra "D'este Viver Aqui Neste Papel Descripto" de António Lobo Antunes e retrata o período em que o escritor serviu como médico, em Angola, durante a Guerra Colonial. A SIC marcou presença na antestreia no cinema São Jorge em Lisboa.