Cultura

Polanski recusa presidir aos "César" por caso de violação em 1977

Polanski recusa presidir aos "César" por caso de violação em 1977

Roman Polanski já não vai presidir à cerimónia dos prémios César, o equivalente aos Óscares em França. A decisão de se afastar foi tomada esta terça-feira pelo próprio cineasta, na sequência da polémica em que se viu envolvido assim que foi convidado. Em 1977, Polanski foi acusado de ter violado uma adolescente de 13 anos, na Califórnia, declarando-se culpado. O realizador foi agora pressionado por associações feministas, redes sociais e pela ministra francesa dos direitos das mulheres. O diretor do Festival de Cannes Thierry Fremaux diz que falou com o realizador e acha que não é necessário "adicionar mais problemas ao problema".

  • Polémica na cirurgia do hospital da Guarda
    3:38

    País

    O diretor de cirurgia do Hospital da Guarda está debaixo de fogo por escolher as próteses de um laboratório de que é consultor, no tratamento de hérnias inguinais. O médico Augusto Lourenço justifica a opção, dizendo que por culpa da administração, não há concursos públicos para a aquisição de material cirúrgico.

  • E de nós, quem cuida?
    23:13
  • Pais e irmãos separados há 40 anos nos Açores continuam à procura dos que partiram
    7:07
  • "O dinheiro era dos dois": Maria Leal reage às acusações de Francisco
    9:51
  • Portugueses marcham em Londres contra o Brexit
    2:05
  • Arábia Saudita confirma morte do jornalista, Trump acredita mas resto do mundo pede responsabilidades
    2:02