Desporto

"Sporting é um alvo a abater". A reação do clube às suspeitas de corrupção no andebol

O Sporting respondeu hoje à notícia da investigação em curso sobre suspeitas de corrupção no andebol alegando ser "o primeiro capítulo de uma campanha, mais uma, que visa exclusivamente denegrir a imagem da instituição".

O Ministério Público está a investigar suspeitas que envolvem o Sporting na compra de árbitros de andebol. O alegado esquema terá permitido ao clube de Alvalade a conquista do título nesta modalidade, na época passada. A notícia é hoje manchete do Correio da Manhã e a SIC também teve acesso a várias conversas entre um empresário e um suposto intermediário, nas quais se fala em valores a pagar aos árbitros.

Ao início da tarde, o clube emitiu uma nota com sete pontos onde começar por afirmar que:

"Estamos perante o primeiro capítulo de uma campanha, mais uma, que visa exclusivamente denegrir a imagem da instituição Sporting CP, a qual se estenderá, já o sabemos, a todas as modalidades do Clube"

O Sporting repudia "de forma veemente estas notícias" e garante que não se revê "em qualquer prática que desvirtue a verdade desportiva ou que sejam ética, moral e socialmente censuráveis".

Na nota, o clube refere que "confia na Justiça e no Estado de Direito e deseja que a alegada investigação anunciada pelo Ministério Público seja célere e que vá até às últimas consequências no apuramento da verdade", mostrando-se disponível para colaborar.

E salienta que:

"O Sporting CP é um alvo a abater porque é o único clube que, genuinamente, continua a lutar e a querer transparência e verdade desportiva em Portugal."

  • Calor vai continuar até ao final da semana
    1:18
  • Governo promete resposta firme à detenção de portugueses na Venezuela
    1:59
  • 7 M€ para projetos em prol da igualdade de género

    País

    O Governo lança hoje um programa de financiamento de projetos de conciliação e igualdade de género, no valor de sete milhões de euros, disponibilizados no âmbito do mecanismo financeiro do Espaço Económico Europeu EEA Grants 2014-2021.

  • Juiz nomeado por Trump diz que acusações de assédio sexual são "difamação" 
    1:23

    Mundo

    Há uma segunda acusação de assédio sexual contra o juíz nomeado por Donald Trump, para o Supremo Tribunal dos Estados Unidos. Uma mulher, de 53 anos, acusa Brett Kavanaugh, de a ter assediado na década de 80 quando ambos frequentavam a universidade. Tal como já tinha acontecido com a acusação anterior, tanto o juíz quanto a Casa Branca negam as alegações e dizem que é uma campanha para difamar o homem escolhido pelo presidente Trump.