Desporto

João Aurélio nega envolvimento em viciação de resultados

João Aurélio

REUTERS/Miguel Vidal

O jogador de futebol João Aurélio, do Vitória de Guimarães, negou qualquer envolvimento num esquema de viciação de resultados em benefício do Sporting, como foi noticiado esta quarta-feira.

"Face às notícias veiculadas pelos órgãos de comunicação social, envolvendo o meu nome, sou a informar que as nego veementemente, pois sou completamente inocente. Desconheço, por completo, as razões para as referências ao meu nome. Não conheço, não sei quem são e nunca tive qualquer contacto ou qualquer abordagem, por parte desses nomes indiciados nas notícias, alegadamente relacionados com o Sporting", lê-se em comunicado.

A Polícia Judiciária (PJ) deteve quatro pessoas na quarta-feira, incluindo o diretor para o futebol do Sporting, André Geraldes, e efetuou buscas na SAD do Sporting, em Lisboa, por "suspeitas de corrupção ativa", no âmbito de uma operação denominada 'Cashball'.

"Estranhando que, até este momento, nunca tenha sido chamado a prestar declarações às entidades competentes, informo que instruí o meu advogado para agir judicial e criminalmente contra todos aqueles que, por qualquer forma, lançaram ou difundiram essas falsas insinuações", acrescenta João Aurélio, exigindo celeridade ao Estado e às autoridades judiciais no apuramento da verdade de forma a retirar o seu nome do que classifica de "lamaçal".

O jogador termina agradecendo as manifestações de apreço e solidariedade de que foi alvo, nomeadamente de colegas de profissão, Sindicato dos Jogadores, e em especial, do Vitória de Guimarães, clube que diz representar "com enorme orgulho e respeito".

A investigação da PJ levou à detenção do team manager do Sporting, André Geraldes, e também de Paulo Silva, suposto intermediário em casos de alegada corrupção em jogos de andebol e de futebol, e de João Gonçalves e Gonçalo Rodrigues, funcionário do clube.

A investigação do Ministério Público incide sobre vários jogos de futebol, nomeadamente o da terceira jornada da I Liga desta época, entre o Vitória de Guimarães e o Sporting, que os leões venceram por 5-0.

Gravações áudio a que a SIC teve acesso, têm conversações que alegadamente implicam o defesa João Aurélio, jogador do Vitória que terá sido aliciado para facilitar o triunfo do clube lisboeta.

Além deste, estarão também em causa os restantes cinco jogos do Sporting nas seis primeiras jornadas na presente época da I Liga, com Desportivo das Aves, Vitória de Setúbal, Estoril Praia, Feirense e Tondela.

Os arguidos deste caso estão detidos nas instalações da PJ do Porto e deverão ser ouvidos na quinta-feira no tribunal de instrução criminal.

Com Lusa

  • Diretor do Museu Serralves demite-se

    Cultura

    O diretor artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, apresentou esta sexta-feira o pedido de demissão à administração da Fundação Serralves.

  • Filho de José Eduardo dos Santos vai a tribunal pelo "caso dos 500 milhões"
    1:44

    Mundo

    O filho do ex-Presidente angolano José Filomeno dos Santos e o ex-governador do Banco Nacional de Angola Valter Filipe enfrentam a acusação do Ministério Público, no chamado "caso dos 500 milhões", que os acusa de alegada associação criminosa, fraude e branqueamento de capitais. Em Luanda, a Procuradoria-Geral da República confirmou o envio do processo para tribunal.

  • Personalidades do futebol dizem que Ronaldo foi vítima de excesso de zelo
    2:03

    Desporto

    A UEFA vai anunciar o castigo de Cristiano Ronaldo na próxima quinta-feira, depois do cartão vermelho que o internacional português recebeu no jogo da Liga dos Campeões. O castigo pode ir de um a três jogos de suspensão. Várias personalidades do mundo do futebol acreditam que o jogador foi vítima do excesso de zelo do árbitro.

  • PGR de Angola confirma detenção de antigo ministro

    Mundo

    A Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola confirmou esta sexta-feira a detenção do antigo ministro dos Transportes angolano, Augusto Tomás, indiciado pela prática dos crimes de peculato, corrupção, branqueamento de capitais, entre outros puníveis pelo Código Penal.