Desporto

Bruno de Carvalho quis ser ouvido pelas autoridades mas foi por engano ao DCIAP

Bruno de Carvalho quis ser ouvido pelas autoridades mas foi por engano ao DCIAP

O antigo presidente do Sporting apresentou-se esta manhã às autoridades para ser interrogado sobre a invasão à Academia do Sporting. Terá sido uma apresentação voluntária às autoridades, de acordo com uma fonte ligada a Bruno de Carvalho, que levou o ex-dirigente ao Departamento Central de investigação e Ação Penal (DCIAP), em Lisboa, mas acabou por ser encaminhado para o Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP), no Campus da Justiça, onde está o processo, como explica o repórter Bruno Castro Ferreira.

Este desenvolvimento acontece poucas horas depois de um funcionário do Sporting ter ficado em prisão preventiva. Bruno Jacinto, que fazia a ligação entre o clube e as claques, que terá sabido do plano para atacar a Academia de Alcochete.

  • PSP divulga fotos dos fugitivos do Tribunal do Porto e reforça dispositivo para capturar os três suspeitos
    1:16
  • "Acabámos com 6 jogadores da formação na equipa"
    1:27

    Desporto

    No final do jogo, João Manuel Pinto, treinador do Sertanense, mostrou-se orgulhoso com o trabalho da equipa, que joga no terceiro escalão do futebol português. Já Rui Vitória preferiu destacar a qualidade dos jogadores do Benfica que, apesar de serem menos utilizados neste inicio de época, estiveram em evidência.

  • Trump admite que Khashoggi pode estar morto
    2:50
  • "Pedro Proença quer que eu saia a todo o custo"
    3:00
  • Chuvas fortes afetam várias regiões em Espanha

    Mundo

    As chuvas fortes que afetam desde quinta-feira Espanha, as mais intensas da última década, estão a provocar problemas em várias regiões, em especial nas províncias da Comunidade Valenciana, mas sem registo de ocorrências graves nem danos pessoais.

  • Sextortion, o novo método de chantagem sexual na Internet
    2:17
  • Destruído mural de Vhils em Alcântara

    Cultura

    O mural, criado por Vhils, na parede da antiga fabrica da Sidul na Avenida da Índias, em Lisboa, foi esta quinta-feira destruído para dar lugar a um empreendimento urbanístico.