Desporto

Pinto da Costa constituído arguido no caso dos e-mails

(Arquivo)

O presidente do FC Porto Jorge Nuno Pinto da Costa e outros três administradores da SAD do clube - Fernando Gomes, Reinaldo Teles e Adelino Caldeira - foram esta sexta-feira constituídos arguidos na queixa do Benfica à divulgação de e-mails do clube. São todos suspeitos do crime de ofensa à pessoa coletiva.

Foram ainda constituídas arguidas outras três pessoas, dois administradores-não executivos da SAD portista, também por ofensa à pessoa coletiva, e uma outra por suspeita de violação de correspondência. Ao que a SIC apurou, trata-se de Diogo Faria, comentador do Porto Canal e co-autor do livro "Polvo Encarnado", que escreveu juntamente com Francisco J Marques, diretor de comunicação do Porto e que também já tinha sido constituído arguido neste processo.

Pinto da Costa foi ouvido esta sexta-feira pelo Ministério Público. O presidente do FC Porto entrou e saiu do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) sem prestar declarações:

Esta quinta-feira, o Ministério Público tinha pedido mais tempo para investigar o caso, que envolve responsáveis e colaboradores do Benfica. De acordo com o Expresso, o DIAP argumenta que o processo insere-se num esquema de corrupção altamente organizado.

Este caso surgiu na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica contra o furto de e-mails, que foram divulgados na internet e no Porto Canal.

  • Greve dos funcionários judiciais mantém-se até 31 de dezembro
    1:48

    País

    Os funcionários judiciais vão continuar em greve para exigir o estatuto profissional e a contratação de cerca de mil funcionários que faltam em todo o país. Na próxima quinta-feira, reúnem-se com o Ministério da justiça e esperam chegar a acordo nas negociações. Caso contrário, mantêm as greves agendadas para este ano e para o próximo.