Economia

Banco de Portugal garante que Popular integrado no Santander opera com normalidade

Susana Vera

O Banco de Portugal assegurou hoje em Lisboa que a filial portuguesa do Banco Popular espanhol continua a operar "com total normalidade" e "protege as poupanças confiadas", passando a integrar o Grupo Santander.

A venda do Banco Popular Espanhol ao Banco Santander "não implica qualquer alteração na atividade do banco português, que continua a operar com total normalidade, agora integrado num novo grupo bancário", informa o Banco de Portugal em comunicado.

Por outro lado, esta solução não contempla financiamento por parte de organismos nacionais e "protege as poupanças confiadas ao Banco Popular Portugal, assegura a continuidade dos serviços prestados em Portugal e do financiamento à economia".

O Banco de Portugal conclui que a solução preserva "a estabilidade do Banco Popular Portugal" e contribui para "a salvaguarda da estabilidade do sistema financeiro português".

O Banco Santander anunciou hoje em Madrid a aquisição de 100% de Banco Popular por um euro, após o Banco Central Europeu ter constatado a inviabilidade da instituição de forma independente e a fim de garantir a segurança dos depositantes do Popular.

Em comunicados separados, o Fundo de Reestruturação Ordenada Bancária (FROB) e o próprio Santander indicam que a compra ocorre depois de um processo competitivo de venda organizado "no âmbito de uma medida de resolução", adotado pelo Conselho Único de Resolução europeu e executado pelo FROB.

Como parte da operação, o Santander tem previsto realizar um aumento de capital de aproximadamente 7.000 milhões de euros, "que cobrirá o capital e as provisões necessárias para reforçar o balanço do Banco Popular", segundo um comunicado enviado à Comissão de Comissão de Mercado de Valores (CMVM) espanhola.

Lusa

  • Ex-espião Silva Carvalho relata em livro práticas ilícitas

    País

    O ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicas e de Defesa Silva Carvalho, condenado em 2016 por violação do Segredo de Estado, assume práticas ilícitas enquanto operacional das secretas portuguesas, num livro que vai ser publicado na próxima sexta-feira.

  • O avô que se dedica a abraçar bebés prematuros

    Mundo

    "O avô da unidade de cuidados intensivos". É assim que as enfermeiras do Hospital Children's Healthcare de Atlanta, nos EUA, chamam a David Deutchman, um homem de 82 anos que, há 12 anos, vai à UCI dois dias por semana para abraçar os recém-nascidos.