Economia

Toys'R'Us encerra lojas no Reino Unido e vai vender ou fechar as dos EUA

Hannah Mckay

A cadeia de lojas de brinquedos Toys'R'Us, presente em Portugal, anunciou esta quarta-feira que vai encerrar todas as lojas no Reino Unido, deixando mais de três mil pessoas no desemprego, e fechar ou vender as dos Estados Unidos.

A empresa, que transferiu o controlo no Reino Unido para um administrador independente, depois de declarar insolvência no final de fevereiro (um procedimento legar e válido naquele país), anunciou hoje, de acordo com a agência EFE, que a decisão foi tomada depois de não encontrar um comprador antes da data limite estabelecida.

A filial da Toys R Us no Reino Unido conta encerrar 25 lojas até quinta-feira, ficando outras 75 abertas para vender restos de 'stock' a preços baixos.

Nos Estados Unidos, de acordo com o Wall Stret Journal, a empresa irá encerrar ou vender todas as 881 lojas, decisão que poderá afetar 33 mil trabalhadores.

A 19 de setembro, a Toys R Us apresentou um pedido de 'proteção de falência' no Tribunal de Falências do Distrito Leste da Virgínia (Estados Unidos).

A empresa avançou com um processo para reestruturar a sua rede comercial, que incluía fechar as instalações menos lucrativas e renovar o resto para melhorar a experiência de compra dos consumidores.

Nos Estados Unidos, quando uma empresa não consegue cumprir a sua dívida e pagar aos credores, pode apresentar uma petição de proteção de falência.

A Toys R Us optou pela via segundo a qual a empresa mantém, na maioria dos casos, controlo sobre as suas operações, mas sob supervisão judicial.

Em setembro, a cadeia de brinquedos tinha cerca de 1.700 lojas em todo o mundo e, em 2016, gerou uma receita de 11.500 milhões (cerca de 9.590 milhões de euros).

A empresa foi criada em 1948 por Charles Lazarus, que aproveitou o 'baby boom' após a Segunda Guerra Mundial e abriu o seu primeiro estabelecimento em Washington, sob o nome de Children's Bargain Town.

Em 1957, adotou o nome Toys 'R' Us, com o qual entrou me Bolsa em 1978.

Em março de 2005, o consórcio formado pelas firmas Kohlberg Kravis Roberts, Bain Capital e Vornado Realty Trust chegou a um acordo para retirar a Toys 'R' Us do mercado e comprá-la por 6.600 milhões de dólares. Em 2013, abandonou os planos para regressar ao mercado.

Desde então, manteve um alto endividamento, o que limitou sua capacidade de investir em planos de crescimento, incluindo o desenvolvimento do seu canal 'online'.

Lusa

  • Polícia britânica acredita que ataque junto ao Parlamento foi ato isolado
    2:15
  • Donald Trump acusa ex-assessora de ser "um cão"

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump aumentou esta terça-feira o tom do confronto com a antiga assessora Omarosa Manigault Newman, que chegou a ser a afro-americana com estatuto mais elevado na Casa Branca, designando-a como "esse cão!".