Economia

Mercado de veículos de passageiros desce 5,3% na UE em março

O mercado da União Europeia de veículos de passageiros desceu em março (-5,3%), pela primeira vez em 2018 e na comparação homóloga, com um total de quase 1,8 milhões de novos registos, informou hoje a Associação Europeia de Construtores de Automóveis (ACEA).

Em comunicado, a ACEA notou ser também o primeiro mês de março que regista quebras desde 2014, mas considera que deve ser levado em conta que os resultados do ano passado (com recorde em março, num crescimento de 11,2%) "constitui uma elevada base de comparação".

Em Portugal, março registou uma subida de 7,1% (num total de 27.818 veículos) e no trimestre o crescimento foi de 5,5% (63.139)

No terceiro mês do ano, no Reino Unido, as vendas desceram 15,7%, com a ACEA a notar o declínio da procura também na Itália (-5,8%) e na Alemanha (-3,4%), enquanto houve subidas em França (2,2%) e em Espanha (2,1%).

O primeiro trimestre deste ano fechou com a procura a permanecer ligeiramente positiva (0,7%) nos 28, apesar da descida de março.

Nos primeiros três meses, o registo de novas viaturas aumentou em Espanha (+10,5%), Alemanha (+4%) e França (+2.9%), enquanto houve descidas na Itália (-1,5%) e no Reino Unido (-12,4%).

No total, quase 4,2 milhões de novos carros foram registados no primeiro trimestre.

Entre os fabricantes, março fechou com evolução positiva na União Europeia para o grupo Volkswagen (+0,3% para 405 mil unidades de passageiros), para o grupo PSA (+59,7 para 285 mil), Hyundai (+3,6% para 61 mil), Kia (+4,8% para 57 mil) e Honda (+1,3% para 23,445).

Em descida estiveram o grupo Renault (-3,2% para quase 175 mil), a Ford (14,9% para 132.765), grupo FCA (-8% para 118.975), grupo BMW (-5,8% para 118.746), Daimler (-3,4% para 108 mil), grupo Toyota (-4,3% para 83.546), Nissan (-17,8% para 74.626), Volvo Car (-4,1% para 34 mil) e grupo Jaguar Land Rover (-22,4% para 35 mil).

Lusa

  • Recusado pedido de detenção de Duarte Lima
    1:26

    País

    Um juiz das varas criminais não aceitou um pedido do Ministério Público para que Duarte Lima fosse detido nos próximos dias. A existência de recurso, ainda pendente no Tribunal Constitucional, terá condicionado a decisão do juiz.