Economia

Deputados debatem propostas sobre sigilo bancário

Os deputados debatem hoje várias iniciativas sobre sigilo bancário, uma proposta do Governo para permitir ao fisco conhecer as contas com saldo superior a 50 mil euros e projetos do BE e do PCP sobre grandes devedores da banca.

Caso a proposta de Governo venha a ser aprovada, os bancos terão de reportar as contas bancárias de portugueses que tinham saldo superior a 50 mil euros no final de cada ano.

O primeiro reporte será em junho de 2019 referente a fim de 2018.

A troca de informações entre os bancos e o Fisco também é alvo de um projeto do Bloco de Esquerda, que será hoje debatido.

O debate em plenário hoje será ainda animado por outros projetos relacionados com os grandes devedores dos bancos.

Também do Bloco de Esquerda é debatida a proposta para que o Banco de Portugal publique anualmente os grandes devedores dos bancos, a elaboração pelo banco central de um relatório extraordinário sobre os grandes devedores que levaram a prejuízos nas instituições ajudados pelo Estado e o reforço dos poderes das comissões parlamentares de inquérito no acesso a informações de entidades ajudadas pelo Estado ou alvo de medidas resolução.

Do PCP será discutido um projeto para a criação de uma unidade técnica para a recuperação dos créditos em incumprimento no BES, BPN e Banif, que levaram a perdas públicas, e outro projeto para que o Banco de Portugal divulgue anualmente ao parlamento créditos em incumprimento acima de dois milhões de euros.

Lusa

  • Papa Francisco - entre a vulnerabilidade de um abalo e a oportunidade de uma reforma

    Papa e a tensão na Igreja

    Não é o tempo cronológico que define Francisco, mas o tempo da oportunidade, sem necessariamente sintonizar a ação com o tempo mediático. Esta circunstância pode dar um bom enquadramento de leitura para o «escândalo» dos abusos sexuais por parte de clérigos católicos. Mas o impacto mediático gerado pelo relatório da Pensilvânia e pela carta de um arcebispo a pedir a resignação do Papa, com a visita à Irlanda como pano de fundo, acabou por criar também uma oportunidade. Os próximos meses são por isso fulcrais para atenuar os danos e reconstruir laços de confiança nas instituições. Não há folga para oportunidades desperdiçadas. A pressão é elevada. A dimensão mediática não terá sido devidamente valorizada. Francisco ficou mais exposto às críticas e aos críticos.

    Joaquim Franco

  • Piloto que morreu no Estoril terá ficado sem travões
    1:17
  • Empresa de segurança sob suspeita na Guarda
    4:47
  • O embaraço do príncipe Harry
    0:29