Economia

Funcionários judiciais do Porto "acorrentados a estatuto que leva tribunais a tempo de escravatura"

Funcionários judiciais do Porto "acorrentados a estatuto que leva tribunais a tempo de escravatura"

Os funcionários judiciais cumprem hoje o penúltimo dia de greve nacional e de Comarca. No Porto quase duas centenas de funcionários concentraram-se no Palácio da Justiça, para exigir a revisão das carreiras. O sindicato diz que a adesão dos trabalhadores foi superior a 85 por cento.

  • Greve dos funcionários judiciais com 85% a 100% de adesão, garante sindicato
    0:36

    País

    Os funcionários judiciais continuam em greve. A paralisação parcial arrancou há um mês, prolonga-se até ao final do ano e tem feito adiar as diligências nos tribunais de todo o país. Esta manhã, os grevistas estiveram concentrados no Campus da Justiça, em Lisboa, e também junto ao Palácio da Justiça no Porto. O protesto é pela revisão do estatuto e pela admissão de mais funcionários. O sindicato garante que esta quinta-feira os níveis de adesão à greve se situam entre os 85 e os 100%.

  • "Sem nós a justiça não funciona"
    1:37

    New Articles

    Os funcionários judiciais cumprem mais uma etapa da greve parcial para exigir a revisão do estatuto profissional e melhores condições de trabalho. Esta manhã concentraram-se no Campus da Justiça, em Lisboa. A greve parcial dura até ao final do ano, mas há ameaças de uma paralisação total em janeiro.

  • Funcionários judiciais admitem suspender a greve
    1:50

    New Articles

    Os funcionários judiciais admitem suspender as greves agendadas até ao início de 2019, caso o Ministério da Justiça cumpra a promessa de retomar a revisão do estatuto profissional. A próxima reunião entre sindicatos e tutela está agendada para 11 de dezembro. Até lá, mantém-se o protesto. Esta sexta-feira, paralisou quase todos os tribunais da zona Oeste de Lisboa e do Algarve.

  • Greve dos funcionários judiciais mantém-se até 31 de dezembro
    1:48

    País

    Os funcionários judiciais vão continuar em greve para exigir o estatuto profissional e a contratação de cerca de mil funcionários que faltam em todo o país. Na próxima quinta-feira, reúnem-se com o Ministério da justiça e esperam chegar a acordo nas negociações. Caso contrário, mantêm as greves agendadas para este ano e para o próximo.

  • Esta casa foi construída por uma impressora 3D
    16:27
  • O sonho americano
    12:13