Madeleine McCann

Pais de Maddie lançam petição para revisão do caso e pedem dinheiro para Fundo

Os pais de Madeleine McCann manifestaram frustração pela falta de progresso das investigações oficiais portuguesa e britânica ao desaparecimento da filha, lançaram uma petição para "revisão conjunta ou independente do caso" e renovaram o pedido de doação de dinheiro para o Fundo.

O apelo, lançado para coincidir com o aniversário de três anos e meio desde o desaparecimento da criança em Portugal e endereçado aos governos dos dois países, lamenta o impasse desde o arquivamento da investigação, em julho de 2008.



"É incrível pensar que ao longo dos últimos dois anos e três meses nenhuma força policial fez algo proativamente para nos ajudar a procurar Madeleine" , lê-se na petição.



E, acrescentam, "mais importante, não houve nenhuma revisão formal dos elementos detidos pelas autoridades policiais -- o que é uma prática em muitos países, especialmente quando está em falta a peça chave do 'puzzle'" .



Madeleine McCann desapareceu poucos dias antes de fazer quatro anos, a 03 de maio de 2007, do quarto onde dormia com os dois irmãos gémeos, mais novos, num apartamento de um aldeamento turístico na Praia da Luz, no Algarve.



Os pais, Kate e Gerry McCann, jantavam nessa altura com um grupo de amigos ingleses num restaurante a cerca de 50 metros do apartamento.



Ambos foram constituídos arguidos pelas autoridades judiciais portuguesas em julho de 2007.



Mas a 21 de julho de 2008, a Procuradoria Geral da República anunciou o arquivamento das suspeitas contra o casal britânico e um terceiro arguido, Robert Murat, de nacionalidade luso-britânica.



Ainda em 2007 Kate e Gerry criaram um Fundo para financiar a busca, que tem pago a ex-polícias para investigarem, mas lamentam não terem acesso a "toda a informação que as autoridades do Reino Unido e de Portugal têm" .



"A nossa equipa entrevistou centenas de testemunhas, recebeu mais de 1000 chamadas telefónicas, recebeu e organizou mais de 15 000 emails e manteve atualizada uma base de dados que reúne toda a informação que foi recebendo" , afirmam.



Os pais garantem ter tentado, "sem sucesso, que as autoridades façam a sua parte" , mas dizem que os seus "pedidos não encontraram eco" e pedem, por isso, aos Governos que "façam mais" .



Além da petição, os pais de Madeleine renovam o pedido de doação de dinheiro para o Fundo e adiantam só ter dinheiro para funcionar "até ao final da primavera de 2011" .



Atualmente, enumeram, o financiamento serve para pagar aos investigadores, a um tradutor português, uma linha telefónica com tradutores para receber informações, campanhas de publicidade, a manutenção da página de internet e campanhas em redes sociais e um coordenador de campanha.



Se o Fundo não angariar dinheiro, avisam, "isso significaria que terminaria qualquer procura proativa por Madeleine" .



Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Lusa