Assalto em Tancos

Ministro da Administração Interna diz que nunca falou com antecessora e GNR sobre Tancos

Ministro da Administração Interna diz que nunca falou com antecessora e GNR sobre Tancos

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse esta quinta-feira no Parlamento que nunca falou com a sua antecessora Constança Urbano de Sousa, nem com a Guarda Nacional Republicana, sobre a recuperação das armas furtadas em Tancos.

"Passei a exercer funções de ministro da Administração Interna no dia 21 de outubro de 2017, depois dos acontecimentos. Nunca falei desta matéria com a minha antecessora [a ex-ministra da Administração Interna Constança Urbano de Sousa]. Esta matéria nunca foi falada com a estrutura da GNR", disse Eduardo Cabrita, durante a discussão na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2019.

O ministro respondia ao deputado do PSD Carlos Peixoto que sublinhou o facto de a GNR estar "confessadamente envolvida" no alegado "encobrimento" do caso da recuperação do material militar furtado em Tancos e perguntou a Eduardo Cabrita se "sabia ou não alguma coisa" e se "falou ou não com a antecessora".

O governante adiantou que o seu contributo "para o pleno apuramento da verdade" no âmbito das suas competências foi determinar à Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) que abrisse um inquérito aos quatro militares da GNR constituídos arguidos, "para apuramento das responsabilidades disciplinares eventualmente existentes".

Eduardo Cabrita disse ainda que esse inquérito foi aberto após ter sido tornada pública a Operação Húbris, na qual foram detidas nove pessoas, oito militares e um civil.

Entre os arguidos do inquérito que investiga o caso da recuperação das armas furtadas em Tancos em 2017 estão o ex-diretor da Polícia Judiciária Militar (PJM), que está em prisão preventiva, o investigador e ex-porta voz da PJM e outros três responsáveis desta polícia. A estes somam-se um civil e três elementos do Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Loulé.

O Ministério da Administração Interna esclareceu que um dos elementos da PJM constituído arguido pertence à Guarda Nacional Republicana.

Com Lusa

  • Açores sob aviso laranja até sábado para vento forte e agitação marítima

    País

    O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores emitiu um alerta para o agravamento do tempo a partir do final do dia, devido a uma depressão a norte do arquipélago. O IPMA colocou os grupos central e ocidental em alerta para o vento forte e agitação marítima enquanto a Autoridade Marítima Nacional apela ao reforço da amarração e vigilância apertada das embarcações atracadas" e " evitar de passeios junto ao mar, em especial nos molhes, e nas praias".

  • Em Portugal surgem cerca de 500 novos casos de cancro do pâncreas todos os anos
    4:18

    País

    Assinala-se hoje o Dia Mundial do Cancro do Pâncreas. Todos os anos surgem, em Portugal, cerca de 500 casos novos de doentes com cancro do pâncreas, uma das doenças mais letais, com uma taxa de sobrevivência que não ultrapassa muito os 10 por cento. Ana Raimundo, diretora clínica da CUF Instituto de Oncologia, esteve na Edição da Manhã para nos falar daquela que é a terceira neoplasia maligna mais frequente do tubo digestivo em Portugal.

  • Contas Poupança ajuda-o a preparar-se para os descontos da Black Friday
    8:07
  • Juiz Ivo Rosa passa a ter segurança pessoal
    1:04

    Operação Marquês

    Desde terça-feira que Ivo Rosa tem segurança garantida pela PSP. Dois elementos do Corpo de Segurança Pessoal da polícia acompanham o juiz do Processo Marquês para todo o lado. O pedido foi feito por Ivo Rosa junto do Conselho Superior de Magistratura que remeteu o assunto para o SIS - Serviço de Informações de Segurança.