Harry Potter

Investigadores do universo Harry Potter vão reunir-se em Lisboa

Peter Nicholls

Investigadores que estudam o universo Harry Potter, personagem criada pela britânica J.K.Rowling, reúnem-se no dia 20 de outubro, em Lisboa, numa conferência internacional que assinala os 20 anos da publicação do primeiro livro das aventuras daquele aprendiz de feiticeiro.

"Esta conferência internacional de um dia, que reúne em Lisboa investigadores internacionais que se dedicam ao estudo do universo do jovem Potter, pretende assinalar os 20 anos de um 'produto' e ícone cultural universal", refere a Biblioteca Nacional de Portugal, num comunicado hoje divulgado.

No dia 20 de outubro, na Biblioteca Nacional, "estará também patente uma pequena mostra de obras de J.K. Rowling". A conferência, de entrada livre, inicia-se às 14:00.

O primeiro dos sete volumes das aventuras de Harry Potter, "Harry Potter e a Pedra Filosofal", foi publicado em 1997 pela Bloomsbury, depois de ter sido recusado por 12 editoras.

Os livros (o sétimo foi publicado em 2007), traduzidos para mais de 65 línguas, tornaram-se um fenómeno de vendas em todo o mundo e foram adaptados ao cinema.

Ao grande ecrã chegaram, entre 2001 e 2011, oito filmes, já que o último volume foi dividido em duas produções.No ano passado, foi publicada a peça de teatro "Harry Potter e a criança amaldiçoada", escrita por J.K. Rowling, Jack Thorne e John Tiffany, que esteve em cena no Palace Theatre, em Londres, no verão de 2016, e chegará à Broadway, em Nova Iorque, em 2018.

Além da peça de teatro, J.K. Rowling publicou ainda outras obras ligadas ao universo de Harry Potter, entre as quais "Monstros fantásticos e onde encontrá-los" e "Os contos de Beedle, o Bardo".J.K. Rowling residiu no Porto, entre 1991 e 1993, onde deu aulas de inglês.

Lusa

  • Uma "mão invisível" ajudou a subir e manter o preço das ações do BCP. Pedro Coelho explica como
    3:42
  • O "amor cego" de Francisco por Maria Leal
    35:21
  • Comandante dos bombeiros da Figueira da Foz diz que demissão é "grito de revolta"
    7:52

    Tempestade Leslie

    O comandante dos Bombeiros Municipais da Figueira da Foz demitiu-se esta quarta-feira depois de ter sido acusado de ter abandonado o posto durante a tempestade Leslie. À SIC, Nuno Osório explica que a demissão é um “grito de revolta” pelas “difamações e mentiras” veiculadas na comunicação social e redes sociais. O comandante afirma ainda que se ausentou do terreno, mas apenas por volta das 05:00 da manhã de domingo por “necessidades pessoais”.

  • Circulação rodoviária e ferroviária suspensas devido a rotura de conduta em Alcântara
    3:35

    País

    O trânsito na Rua Maria Pia continua cortado, assim como a circulação ferroviária entre Ponte Santana e Alcântara-Terra. Tanto a rua como várias casas ficaram inundadas. O diretor de comunicação da EPAL, Marques Sá, garante que a empresa vai avançar com o processo de indemnização a quem foi afetado pelas inundações e anunciou que entretanto foi retomado o abastecimento de água nas três ruas afetadas.

  • Marcelo exige estratégia de combate à pobreza em Portugal
    2:52

    País

    Mais de um milhão de portugueses trabalham, mas vivem na pobreza, e mais de dois milhões estão em risco de exclusão social. São números alarmantes que levam o Presidente da República a exigir ao Governo uma estratégia de combate à pobreza em Portugal.

  • Saiba se a sua conta do Facebook foi afetada pelo ataque informático

    País

    O ataque informático ao Facebook a 25 de setembro expôs informações de 29 milhões de contas. Mas não pense que os afetados estão do outro lado do mundo ou que isso nunca acontece em Portugal. Para tirar as dúvidas, a rede social disponibilizou uma ferramenta que diz se a sua conta foi afetada ou não.

    SIC