Liga Europa 2017/2018

Final da Liga Europa com especial atenção das autoridades aos adeptos do Marselha

Philippe Laurenson

A final da Liga Europa de futebol desta quarta-feira, entre Atlético de Madrid e Marselha, vai merecer especiais cuidados de segurança, face ao clima de tensão entre os marselheses e o Olympique de Lyon, em cujo estádio se disputa o encontro.

As autoridades francesas anunciaram um sistema de segurança que "triplicará ou quadruplicará" os meios habituais para um jogo normal da Liga gaulesa e a 'fan zone' foi mesmo suspensa, temendo desacatos face ao ambiente de guerrilha dos últimos meses.

A rivalidade desportiva entre marselheses e lioneses tem sido coroada de episódios de violência, física e verbal, e um cântico dos 'ultras' do conjunto finalista, que rapidamente se tornou viral nas redes sociais - "vamos partir tudo em tua casa", dirigido ao presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas - alarmou as entidades competentes, que encaram o desafio como sendo de risco máximo.

Os maiores receios são os de que se produzam incidentes no centro da cidade, mais difíceis de controlar do que no estádio, o Parc Olympique Lyonnais, nos arredores de Lyon, na localidade de Decines, e que é o único recinto no país gerido na totalidade por fundos privados.

O responsável de segurança do Marselha, Thierry Aldebert, já deu instruções aos adeptos para evitar incidentes: quem tem bilhete que vá direto ao estádio e quem não tem que não viaje os cerca de 315 quilómetros que separam as cidades.

O historial de enfrentamento entre as equipas teve um episódio muito grave em 18 de março no estádio Vélodrome de Marselha, quando um golo de Memphis Depay valeu aos forasteiros triunfo por 3-2 no último minuto.

Após o apito final, desaguisados entre jogadores seguida de batalha campal quando o brasileiro Marcelo, a recolher aos balneários, tirou a camisola e mostrou o símbolo do Lyon aos adeptos.

Entre os muitos castigos, o guarda-redes português Anthony Lopes, do Lyon, foi punido com três jogos, depois de se ter envolvido em desacatos com funcionários do Marselha.

Esta situação mereceu longo e duro enfrentamento entre os presidentes, com declarações inflamatórias, entretanto mais serenadas, tendo em conta o desafio.

Com uma jornada por disputar, o Lyon está em terceiro lugar, de acesso à Liga dos Campeões, com apenas um ponto de avanço para o Marselha, facto que aumenta ainda mais a tensão entre os rivais.

Os seguidores do Marselha têm um longo historial de violência em casa e fora de portas, incluindo em Espanha na visita ao próprio Atlético de Madrid, sendo que em novembro de 2017, na deslocação ao Vitória de Guimarães, na Liga Europa, se envolveram em agressões com os seus próprios jogadores, antes do início do encontro.

Lusa