Rumo ao Mundial 2018

Selecionador da Irlanda do Norte incrédulo com penálti que valeu derrota frente à Suíça

O selecionador da Irlanda do Norte, Michael O'Neill.

Jason Cairnduff

O selecionador da Irlanda do Norte mostrou-se esta quinta-feira incrédulo com o penálti que derrotou a sua equipa, na receção à Suíça (0-1), na primeira mão do play-off europeu de apuramento para o Mundial de futebol de 2018.

"É incrível que o árbitro tenha assinalado penálti. Corry (Evans) vira-se e a bola não lhe bate na mão, mas nas costas... toda a gente viu. Quando o árbitro apitou, pensei que era para assinalar fora de jogo ou outra coisa qualquer, nunca penálti", disse o técnico norte-irlandês.

O lance aconteceu aos 58 minutos, quando o árbitro romeno Ovidiu Hategan assinalou penálti por alegada mão na bola de Corry Evans, que não aconteceu. Na transformação do castigo máximo, Ricardo Rodríguez selou o triunfo dos helvéticos.

"O penálti, a entrada inicial de Schär sobre Dallas, que era para vermelho... houve muitas decisões contra nós", lamentou Michael O'Neill, adiantando que a reação dos seus jogadores "foi muito boa" e que, agora, "é preciso esquecer este jogo".

"Continuamos vivos na eliminatória, que é o importante. Esperemos que o árbitro nos regale lá (em Basileia, na segunda mão) o que este lhes regalou a eles hoje", afirmou o selecionador da Irlanda do Norte.

A formação irlandesa procura voltar, 32 anos, a um campeonato do Mundo, prova em que esteve em três ocasiões, em 1958 (Suécia), 1982 (Espanha) e 1986 (México).


Lusa

  • Piloto que morreu no Estoril terá ficado sem travões
    1:17
  • Empresa de segurança sob suspeita na Guarda
    4:47
  • O embaraço do príncipe Harry
    0:29