Orçamento do Estado 2018

Contratação de 5.000 investigadores doutorados inicia-se em 2018

A contratação de cinco mil doutorados inicia-se em 2018, indicou esta terça-feira o ministro da Ciência, Manuel Heitor, reconhecendo que houve demora na regulamentação da legislação de estímulo ao emprego científico. O prazo foi avançado no parlamento, na discussão na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2018 (OE2018).

Manuel Heitor apontou o "princípio de 2018" como a data para encetar o processo de contratação, a termo, de três mil investigadores, processo que será completado em 2019 com a contratação de mais dois mil doutorados.

A meta mais recente do Governo para o emprego científico previa a contratação de cinco mil doutorados entre 2017 e 2019.O BE questionou a demora na regulamentação da legislação de estímulo ao emprego científico, que "peca por tardia".

Reconhecendo a demora, o ministro admitiu que pensava que "a regulamentação seria mais rápida", depois de a legislação ter sido publicada em agosto com as alterações aprovadas em apreciação parlamentar.

O regulamento do emprego científico foi hoje divulgado no portal da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), depois de aprovado pelo ministro, mas aguarda publicação em Diário da República para entrar em vigor.

O decreto-lei de estímulo ao emprego científico prevê a contratação de doutorados por um prazo máximo de seis anos, em substituição das bolsas de formação de pós-doutoramento.

As universidades, nomeadamente de Lisboa e Coimbra, têm alegado constrangimentos orçamentais para a contratação de investigadores-doutorados.

Segundo o diploma, a FCT, principal entidade financiadora da investigação em Portugal, suportará os custos da contratação de doutorados para o desempenho de funções que estivessem a ser exercidas em instituições públicas por bolseiros doutorados que eram financiados direta ou indiretamente pela FCT há mais de três anos.

De acordo com as alterações ao diploma, as instituições têm até 31 de dezembro deste ano e até 31 de agosto de 2018 para abrir dois concursos no âmbito desta norma transitória.

Para garantir a contratação de três mil doutorados, o orçamento global da FCT proposto para 2018 é reforçado em 55 milhões de euros.Idêntica verba tinha sido inscrita na proposta de orçamento da FCT de 2017 para o emprego científico.

Há um ano, o ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, anunciou a criação, em janeiro, de um observatório do emprego científico para monitorizar a contratação de investigadores e professores do ensino superior e divulgar periodicamente dados sobre os processos.

A deputada do CDS-PP Ana Rita Bessa assinalou que o observatório continua a não existir.Em resposta, numa intervenção posterior, Manuel Heitor assegurou que o observatório "está a funcionar", sem esclarecer quantas novas contratações foram feitas.

Lusa

  • Marcelo explica porque não aplaudiu discurso de Trump
    0:34

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que não aplaudiu o discurso de Donald Trump nas Nações Unidas porque Portugal acredita no multilateralismo e no diálogo. O Presidente da República sublinhou que a intervenção que vai fazer na quarta-feira vai nesse sentido.

  • O adeus do capitão

    Desporto

    Quinze anos depois da chegada à Luz, Luisão despede-se do clube que o viu despontar para o futebol e onde se conseguiu afirmar como um dos melhores. No dia do adeus, fazemos uma retrospetiva à carreira do capitão mais titulado da história do Benfica.

    André de Jesus

  • Afinal, quem é que merece ser o melhor jogador do mundo?
    2:21

    Desporto

    Luka Modric foi considerado o melhor do mundo pela FIFA. Cristiano Ronaldo foi o grande derrotado da noite, não venceu o prémio principal nem o do melhor golo do ano. As reações não se fizeram esperar. Se uns acham justa a vitória do croata, já outros questionam os critérios do prémio.

  • Bill Cosby considerado predador sexual violento e condenado a pena de prisão

    Mundo

    O ator norte-americano Bill Cosby foi esta terça-feira condenado a uma pena de prisão de três a 10 anos e considerado um "predador sexual violento", por um juiz da Pensilvânia. A classificação significa que o homem de 81 anos terá de receber aconselhamento durante o resto da vida, assim como o seu nome irá aparecer no registo dos criminosos sexuais.

    SIC

  • O que está a mudar na Arábia Saudita

    Mundo

    A luta contra a discriminação de género e as reformas na cultura continuam a dar largos passos, na Arábia Saudita. A mais recente novidade é que, pela primeira vez, uma mulher foi autorizada a apresentar as notícias, na televisão estatal. Desde as mulheres que já podem conduzir ao regresso do cinema, saiba o que está a mudar no país conservador.

    Ana Rute Carvalho

  • A tecnologia que promete melhorar o estacionamento nos centros urbanos
    8:05
  • Um em cada três trabalhadores em risco de esgotamento profissional
    1:11
  • Brasileiro terá escondido provas do caso Lava Jato em casas em Lisboa
    2:15

    Operação Lava Jato

    A Polícia Judiciária fez buscas e apreensões em Lisboa, no âmbito do caso brasileiro Lava Jato. A operação ocorreu a partir de um pedido de cooperação internacional das autoridades brasileiras. O alvo da operação é um homem brasileiro acusado de envolvimento com luvas. Mário de Miranda terá escondido provas e documentos em casas da capital portuguesa.