Orçamento do Estado 2018

Governo rejeitou proposta sobre renováveis para evitar riscos de litigância judicial

O Governo entende que havia riscos graves de litigância judicial com a proposta do Bloco de Esquerda sobre as empresas de energia renovável. Os riscos podiam implicar prejuízos para o Estado na ordem das centenas de milhões de euros, como aconteceu em Espanha.

A decisão final foi tomada durante o fim de semana, depois dos bloquistas terem entregue uma proposta de substituição sobre as renováveis na quinta-feira à noite, na reta final das votações do Orçamento do Estado.

Fontes do Governo garantem que a proposta inicial não tinha o acordo do Executivo e que seria rejeitada em qualquer circunstância.

O texto de substituição só foi votado favoravelmente na noite de sexta-feira, para permitir uma avaliação mais profunda antes da votaçao final.

A segunda proposta foi articulada, de facto, entre os bloquistas e o Ministério da Economia, mas nunca teve a aprovação de António Costa.

Durante o fim de semana, o Executivo analisou o texto e chegou à conclusão que a nova taxa podia abrir a porta a processos judiciais por causa da alterações dos contratos celebrados com as empresas do setor.

Fontes do Governo sublinharam à SIC que o assunto não faz parte das posições conjuntas assumidas com o Bloco de Esquerda, nem das medidas estruturantes do Orçamento do Estado para 2018.

  • Renováveis aquecem ânimos entre Bloco e PS
    2:22

    Orçamento do Estado 2018

    O PS voltou atrás e chumbou a proposta do Bloco, que previa a cobrança de uma contribuição extraordinária às produtoras de energias renováveis, que até aqui estavam isentas da taxa aplicada às elétricas. Depois de ter votado a favor, na especialidade, os socialistas voltaram a levar o diploma a votação. E, desta vez, chumbaram a medida, debaixo de fortes críticas do Bloco. 

  • BE acusou Governo de deslealdade mas votou a favor do Orçamento
    2:40

    Orçamento do Estado 2018

    A aprovação do Orçamento do Estado ficou marcada pela divergência entre o Governo e o Bloco de Esquerda, depois do PS ter recuado e chumbado a criação de uma taxa sobre as energias renováveis. No discurso de encerramento, o Bloco acusou o Executivo de ter cedido aos interesses das elétricas e de ter rasgado o acordo parlamentar. Chegou mesmo a falar de deslealdade, mas acabou por votar a favor do documento.

  • Advogada de Kathryn Mayorga confiante na condenação de Ronaldo
    3:09
  • Treino do FC Porto marcado por controlo antidoping surpresa

    Desporto

    O FC Porto prosseguiu esta terça-feira a preparação para o encontro da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, num treino antecedido por um controlo da Autoridade de Antidopagem de Portugal. A brigada presente no Olival recolheu sangue e urina a todos os jogadores do dragões, o que atrasou o inicio dos trabalhos.

  • BCP ou o banco da Opus Dei?
    1:03