Óscares 2017

Os Óscares em números

A madrugada deste domingo é sinónimo de Óscares. Há 89 anos que as estrelas de Hollywood se reúnem para premiar os que mais se destacaram no ano anterior. A cerimónia deste ano é apresentada por Jimmy Kimmel. "La La Land:Melodia de Amor" igualou o recorde de nomeações só conseguido por "Eva" e "Titanic". Relembramos alguns dos números quer marcam as quase nove décadas de história do evento.

Os filmes que ganharam mais Óscares:

«Ben-Hur» (1959), «Titanic» (1997) e «O Senhor dos Anéis: O Regresso do Rei»(2003), ganharam 11 estatuetas. O primeiro perdeu apenas numa categoria, o segundo perdeu em três categorias e o terceiro ganhou tudo para que estava nomeado.

Os filmes com mais nomeações aos Óscares:

«Eva» (1950) e «Titanic»(197), com 14 nomeações cada. O primeiro ganhou seis estatuetas e o segundo 11 troféus.

Os filmes com mais nomeações que não ganharam um único Óscar:

«A Grande Decisão» (1977) e «A Cor Púrpura»(1985) tiveram 11 nomeações cada e voltaram para casa de mãos a abanar.

Os filmes que ganharam os cinco Óscares principais (Melhor Filme, Realizador, Ator, Atriz e Argumento):

«Uma Noite Aconteceu» (1934),«Voando Sobre um Ninho de Cucos» (1975) e «O Silêncio dos Inocentes» (1990).

O filme com mais Óscares que não recebeu o troféu de Melhor Filme:

«Cabaret - Adeus Berlim» (1972), que conquistou oito Óscares e perdeu o principal para «O Padrinho».

O filme com mais nomeações que não foi nomeado para Melhor Filme:

«Os Cavalos também se Abatem», com nove nomeações.

O filme que recebeu o Óscar de Melhor Filme sem ter tido quaisquer outras nomeações:

«Grande Hotel»(1932)

O intérprete que ganhou mais Óscares:

Katharine Hepburn, que ganhou quatro estatuetas de Melhor Atriz: «Glória de um Dia»(1933), «Adivinha Quem Vem Jantar» (1967), «O Leão no Inverno»(1968) e «A Casa do Lago» (1981).

Quem ganhou mais Óscares numa noite:

Walt Disney, com quatro estatuetas em 1954 para Melhor Documentário de Longa-Metragem, Melhor Documentário de Média-Metragem, Melhor Documentário de Curta-Metragem e Melhor Curta-Metragem de Animação.

O intérprete mais nomeado aos Óscares:

Meryl Streep, com 17 nomeações. Ganhou três vezes: Melhor Atriz Secundária por «Kramer contra Kramer» (1979) e Melhor Atriz por «A Escolha de Sofia» (1982) e «A Dama de Ferro»(2011).

O intérprete mais nomeado aos Óscares sem nunca ganhar:

Peter O'Toole, com oito nomeações de Melhor Ator. Ganhou um Óscar Honorário em 2003.

O intérprete mais jovem a ganhar um Óscar em competição:

Tatum O'Neal ganhou o Óscar de Melhor Atriz Secundária em 1974 por «Lua de Papl», quando tinha apenas 10 anos. Em termos de Óscares honorários, não competitivos, houve vencedores ainda mais jovens, numa época em que se atribuíam ocasionalmente Óscares juvenis. A mais jovem oscarizada nesse capítulo foi Shirley Temple, aos seis anos, em 1935.

O intérprete com mais idade a ganhar um Óscar:

Christopher Plummer ganhou o Óscar de Melhor Ator Secundário em 2011 por «Assim é o Amor», aos 82 anos.

Quem ganhou mais Óscares em toda a vida:

Walt Disney, que ganhou 22 estatuetas em diversas áreas competitivas, e recebeu ainda quatro prémios honorários. Também é ele a pessoa mais nomeada de sempre: 59 vezes.

O artista vivo com mais nomeações ao Óscar:

O compositor John Williams, com 45 nomeações. Ganhou cinco vezes, por «Um Violino no Telhado»(1971), «Tubarão» (1975), «Guerra das Estrelas» (1977), «E.T. O Extraterrestre» (1982) e «A Lista de Schindler»(1993).

O mais nomeado ao Óscar sem nunca ter ganho qualquer estatueta:

Kevin O'Connell, técnico de som, com 20 nomeações sem qualquer prémio.

A mulher mais oscarizada e mais nomeada ao Óscar:

A estilista Edith Head, que recebeu oito Óscares de Melhor Guarda-Roupa em 35 nomeações.

O cineasta mais premiado como Melhor Realizador:

John Ford, com quatro Óscares de Melhor Realizador: «O Denunciante» (1935), «As Vinhas da Ira» (1940), «O Vale era Verde» (1941) e «O Homem Tranquilo»(1952).Curiosamente, para alguém considerado o melhor autor de «westerns» de sempre, nenhum deles era um «western».

O intérprete a ganhar o Óscar na categoria principal com menos tempo no ecrã:

Anthony Hopkins, que ganhou o Óscar de Melhor Ator em «O Silêncio dos Inocentes», em que aparece um total de 17 minutos.

A intérprete a ganhar um Óscar com menos tempo no ecrã:

Beatrice Straight, que ganhou o Óscar de Melhor Atriz Secundária por «Escândalo na TV», em que surge apenas durante 5 minutos e 40 segundos.

  • Alterações às reformas criticadas à esquerda e à direita
    2:22
  • Último dia da greve dos enfermeiros com concentração junto ao Ministério da Saúde
    1:39
  • Ministro admite não intervir em questões relacionadas com associação onde trabalha a mulher
    1:28
  • MAI anuncia que chegam a Portugal em novembro 150 refugiados que estão no Egito
    0:32
  • Chuvas e ventos intensos fustigam costa mediterrânica de Espanha
    1:57