Pagar para perder

Sócios mantêm confiança no plantel do Rio Ave

Sócios mantêm confiança no plantel do Rio Ave

Em Vila do Conde, os sócios do Rio Ave ouvidos esta quinta-feira pela SIC mantêm a confiança em todos os jogadores do plantel. Mas, a confirmarem-se as suspeitas do Ministério Público, esperam que os atletas sejam castigados. 

  • "O futebol português é um caso de polícia há mais de 30 anos"
    5:46

    Pagar para perder

    Rui Santos esteve no Jornal da Noite da SIC para falar sobre o caso Feirense - Rio Ave, em que quatro jogadores do Rio Ave foram constituídos arguidos por suspeitas de corrupção num alegado esquema de viciação de apostas desportivas. O comentador da SIC afirma que o caso coloca "em causa a credibilidade do futebol à escala mundial" e diz que os quatro jogadores em questão ficam estigmatizados depois dos seus nomes serem revelados. Para o comentador da SIC, há mais de 30 anos que o futebol português é um caso de polícia, e esta suspeita de resultados combinados é exemplo disso.

  • Os quatro jogadores do Rio Ave constituídos arguidos
    4:28

    Pagar para perder

    Três dos quatro jogadores do Rio Ave constituídos arguidos por corrupção ainda jogam no clube. São eles Cássio, Marcelo e Nadjack. O outro foi transferido para a 2.ª divisão inglesa. Trata-se de Roderick Miranda, defesa formado no Benfica. A Procuradoria-Geral da República confirmou, entretanto, a investigação da Polícia Judiciária do Porto, revelada na quarta-feira pela SIC.

  • Ex-espião Silva Carvalho relata em livro práticas ilícitas

    País

    O ex-diretor do Serviço de Informações Estratégicas e de Defesa Silva Carvalho, condenado em 2016 por violação do Segredo de Estado, assume práticas ilícitas enquanto operacional das secretas portuguesas, num livro que vai ser publicado na próxima sexta-feira.

  • O avô que se dedica a abraçar bebés prematuros

    Mundo

    "O avô da unidade de cuidados intensivos". É assim que as enfermeiras do Hospital Children's Healthcare de Atlanta, nos EUA, chamam a David Deutchman, um homem de 82 anos que, há 12 anos, vai à UCI dois dias por semana para abraçar os recém-nascidos.