Pagar para perder

As respostas de Benfica e Sporting à investigação da SIC

Benfica e Sporting negam ter oferecido incentivos a qualquer jogador ou agente desportivo para influenciar os resultados de jogos. Estas são as respostas dos clubes às perguntas enviadas pela SIC, sobre a reportagem emitida esta quarta-feira, no Jornal da Noite, que dá conta do alegado aliciamento de dois jogadores do Marítimo para perderem um jogo com o Benfica.

"Essa calúnia é totalmente falsa e absurda", foi esta a resposta do Benfica, quando questionado sobre a possibilidade de ter oferecido dinheiro ou outro tipo de incentivo a algum jogador do Marítimo.

Em causa está o encontro entre os dois clubes, na época 2015-2016, realizado a 8 de maio, no Funchal.

O clube da Luz garantiu também que ninguém no Benfica foi "ouvido sobre esse ou qualquer outro jogo por qualquer autoridade judicial".

SIC

SIC

SIC

Já o Sporting foi questionado se teria oferecido dinheiro a algum jogador do Marítimo para vencer ao Benfica, no mesmo jogo. Mas também o clube de Alvalade negou ter oferecido "qualquer espécie de incentivo, fosse a quem fosse, para ganhar ou perder".

Os leões garantiram ainda não terem sido ouvidos por qualquer autoridade judicial sobre o assunto.

SIC

SIC

SIC

Pode ver ou rever aqui a Investigação SIC na íntegra.

  • Marítimo-Benfica na mira de investigação judicial
    16:45

    Pagar para perder

    O jogo entre Marítimo e Benfica é um dos encontros sob investigação da Polícia Judiciária e do Ministério Público, no âmbito do caso dos e-mails. Dois jogadores do Marítimo garantem que foram abordados para perder o jogo com o Benfica, na penúltima jornada do campeonato de 2015-2016.

  • Polícia britânica acredita que ataque junto ao Parlamento foi ato isolado
    2:15
  • Donald Trump acusa ex-assessora de ser "um cão"

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump aumentou esta terça-feira o tom do confronto com a antiga assessora Omarosa Manigault Newman, que chegou a ser a afro-americana com estatuto mais elevado na Casa Branca, designando-a como "esse cão!".