Tragédia em Pedrógão Grande

Passos Coelho vai ao funeral do bombeiro de Castanheira de Pera

O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, vai estar hoje presente no funeral do bombeiro voluntário de Castanheira de Pera marcado para as 18:00, na vila do norte do distrito de Leiria, disse à Lusa fonte do partido.

O corpo de Gonçalo da Conceição Correia, de 40 anos, está desde a noite de terça-feira no quartel da corporação dos Bombeiros Voluntários de Castanheira de Pera, onde decorreu o velório.

O bombeiro morreu no hospital de Coimbra, onde estava internado, depois de ter ficado gravemente ferido pelo incêndio que começou no sábado, em Pedrógão Grande, distrito de Leiria.

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande provocou pelo menos 64 mortos e mais de 150 feridos, segundo um balanço divulgado hoje.

Este incêndio já consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

Lusa

  • PSP divulga fotos dos fugitivos do Tribunal do Porto e reforça dispositivo para capturar os três suspeitos
    1:16
  • "Acabámos com 6 jogadores da formação na equipa"
    1:27

    Desporto

    No final do jogo, João Manuel Pinto, treinador do Sertanense, mostrou-se orgulhoso com o trabalho da equipa, que joga no terceiro escalão do futebol português. Já Rui Vitória preferiu destacar a qualidade dos jogadores do Benfica que, apesar de serem menos utilizados neste inicio de época, estiveram em evidência.

  • Trump admite que Khashoggi pode estar morto
    2:50
  • "Pedro Proença quer que eu saia a todo o custo"
    3:00
  • Chuvas fortes afetam várias regiões em Espanha

    Mundo

    As chuvas fortes que afetam desde quinta-feira Espanha, as mais intensas da última década, estão a provocar problemas em várias regiões, em especial nas províncias da Comunidade Valenciana, mas sem registo de ocorrências graves nem danos pessoais.

  • Sextortion, o novo método de chantagem sexual na Internet
    2:17
  • Destruído mural de Vhils em Alcântara

    Cultura

    O mural, criado por Vhils, na parede da antiga fabrica da Sidul na Avenida da Índias, em Lisboa, foi esta quinta-feira destruído para dar lugar a um empreendimento urbanístico.