Mundo

Lego faz brinquedos "cada vez mais violentos"

Os brinquedos da Lego estão cada vez mais violentos - uma estratégia dos fabricantes para captar a atenção das crianças, na era digital. É o que sugere um estudo da Nova Zelândia.

Lego

Investigadores da Universidade de Canterbury analisaram catálogos de legos desde 1973 a 2015 e concluíram que os cenários dos brinquedos se tornaram cada vez mais violentos.

As brincadeiras das crianças são casa vez mais brutais, dizem, à medida que cresce a proporção de armas e de cenários de guerra nos brinquedos de lego.

"Os produtos da Lego não são tão inocentes como eram dantes. A violência nos seus produtos parece já não ser só pelo enriquecimento das brincadeiras", sustenta um dos investigadores, Christoph Bartneck.

"Atualmente, cerca de 40% de todos os catálogos da Lego contêm algum tipo de violência - em particular os cenários que envolvem tiroteios e comportamento ameaçador aumentaram ao longo dos anos. A atmosfera de violência é percecionada como excitante", afirma a investigação.

A Lego justifica-se alegando que os seus produtos promovem vários tios de atividades, como a construção, a fantasia e o conflito.

"Tal como noutras brincadeiras, os conflitos fazem parte natural do desenvolvimento de uma criança", declarou o porta-voz, Troy Taylor.

  • Piloto que morreu no Estoril terá ficado sem travões
    1:17
  • Empresa de segurança sob suspeita na Guarda
    4:47
  • Uma rota pelos vinhos do Douro
    4:32

    País

    O tempo de vindimas é também sinónimo de época alta para o turismo no Douro. A oferta de experiências ligadas à vinha e ao vinho é cada vez maior e já existe um roteiro que ajuda os turistas a organizarem melhor as visitas às quintas da região.

  • O embaraço do príncipe Harry
    0:29