Mundo

Novo rei da Tailândia perdoa prisioneiros em "primeiro gesto de misericórdia"

© Chaiwat Subprasom / Reuters

O novo rei da Tailândia decretou uma amnistia de larga escala a prisioneiros, no seu primeiro gesto de "misericórdia" como monarca, após a morte do pai.

O rei Bhumibol Adulyadej morreu em outubro, aos 88 anos, após sete décadas de reinado, deixado o país politicamente instável sem uma figura unificadora.

O seu único filho, Vajiralongkorn, de 64 anos, foi proclamado rei este mês.

No entanto, o monarca, divorciado três vezes, não reúne o mesmo nível de devoção que o pai, em parte devido aos rumores sobre a sua vida privada.

A amnistia foi a "primeira oportunidade [de Vajiralongkorn], desde que sucedeu ao trono, de demonstrar misericórdia", de acordo com um comunicado publicado no domingo na Gazeta Real, próxima do Palácio.

Sob o reinado de Bhumibol, os perdões eram eventos anuais.

Mulheres detidas por primeiros crimes, presos que já cumpriram um terço das suas penas e prisioneiros com deficiências ou doença graves foram alguns dos amnistiados.

O decreto não indica quantas pessoas vão ser libertadas.

  • "Insuficiente" ou "eleitoralista"? O Orçamento sob o olhar dos partidos
    2:18
  • Falhas de energia suspendem circulação ferroviária na Linha do Oeste e entre Alfarelos e a Figueira da Foz

    País

    A circulação ferroviária entre Alfarelos e a Figueira da Foz, no Ramal de Alfarelos, no distrito de Coimbra, só foi restabelecida hoje de madrugada, depois de ter estado suspensa devido a falhas de energia, segundo a Infraestruturas de Portugal. Já a circulação ferroviária na Linha do Oeste no troço entre o Louriçal e a Bifurcação de Lares/Bifurcação de Verride continua suspensa, mais uma vez devido a falhas no fornecimento de energia.

  • Gasóleo fica mais caro em 2019

    Orçamento do Estado 2019

    O gasóleo vai ficar mais caro no ano que vem. Desta vez, será por via do aumento da taxa sobre as emissões de dióxido de carbono. A medida consta da última versão preliminar do Orçamento do Estado para 2019, a que a SIC teve acesso.

    Notícia SIC

  • BCP ou o banco da Opus Dei?
    1:03
  • Bolsonaro com vantagem de quase 20% sobre Haddad
    1:54
  • França enfrenta as piores cheias em 130 anos
    1:18