Mundo

Embaixador da China na ONU apela ao diálogo na península coreana

Wu Haitao, embaixador adjunto da China na ONU, durante uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas

Lucas Jackson

O embaixador adjunto da China na ONU afirmou hoje que a máxima prioridade para todas as partes envolvidas na península coreana é exercerem contenção e empenharem-se no rápido reinício do diálogo e das negociações.

Wu Haitao afirmou, durante uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que o recente período de estabilidade na península abriu a oportunidade para esforços diplomáticos: "Infelizmente, esta oportunidade não resultou no reinício do diálogo e das negociações", afirmou Wu.

O regime de Kim Jong-un testou na quarta-feira um míssil balístico intercontinental que disse ser capaz de atingir todo o território dos EUA. Tratou-se do primeiro teste em mais de dois meses.

O representante chinês reiterou a proposta conjunta da China e da Rússia, mediante a qual o regime de Pyongyang interromperia as atividades nucleares e balísticas e, em troca, Washington e Seul suspenderiam os exercícios militares conjuntos: "Esperemos que a proposta tenha apoio e motive uma resposta", afirmou.

Pequim, o principal aliado diplomático e maior parceiro comercial de Pyongyang, defende que a solução da mútua suspensão é "a única opção viável", uma proposta já recusada por Washington.

Lusa

  • Piloto que morreu no Estoril terá ficado sem travões
    1:17
  • Empresa de segurança sob suspeita na Guarda
    4:47
  • O embaraço do príncipe Harry
    0:29