Mundo

Personalidade do Ano: Time homenageia pessoas que denunciaram casos de abusos e assédio sexual

O movimento que denunciou milhares de casos casos de assédio sexual e até abusos ou agressões em todo o mundo foi escolhido como "Personalidade do Ano" pela revista norte-americana Time.

Última atualização às 13:21

A Time chama-lhe as (ou os) "Quebra-Silêncio". Foi identificado nas redes sociais por #MeToo (ou "Eu Também") e usado por milhares de vítimas para se associarem a uma queixa que até agora não tinham tido coragem de assumir.

O movimento começou com a denúncia da atriz Ashley Judd, que revelou ter sido assediada pelo realizador Harvey Weinstein. Outras figuras públicas associaram-se e poucos dias depois já eram conhecidos milhares de casos por todo o mundo.

"Esta foi a mudança social mais rápida a que assistimos nas últimas décidas e começou com atos de coragem individuais de centenas de mulheres - e de alguns homens também - que se chegaram à frente e contaram as suas próprias histórias", anunciou o editor chefe da publicação norte-americana.

  • Novo aeroporto "em banho-maria"
    0:24
  • Medina explica que a Casa do Presidente foi concedida a uma empresa privada em 2014
    0:31

    País

    O presidente da Câmara de Lisboa explica que residência oficial é um "nome histórico" que ficou atribuído à Casa do Presidente da Villa, que foi concedida a uma empresa privada em 2014. A autarquia recebe 2600 euros por mês pelo aluguer do espaço. Fernando Medina acrescenta que a figura do presidente de Câmara não tem nenhuma residência oficial. 

  • Morte do jornalista saudita foi "monstruosamente planeada"
    0:45

    Mundo

    O porta-voz da Turquia, Omer Celik , acredita que a morte do jornalista Jamal khashoggi foi um crime planeado de forma monstruosa. O jornalista terá sido assassinado dentro do consulado saudita em Istambul. O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, promete revelar toda a verdade sobre o caso.

  • Jovem de 16 anos aponta arma à cabeça da professora em França

    Mundo

    Dois alunos de uma escola em Créteil, na França, foram detidos depois de terem apontado uma arma à professora. Num vídeo filmado e divulgado por colegas, é possível ouvir o aluno a pedir à professora para lhe tirar a falta de presença, ao mesmo tempo que lhe apontava uma pistola de airsoft à cabeça.

  • Há um bufo no Manchester United e Mourinho quer descobrir quem é
    0:34
  • Barco com refugiados afunda a poucos metros da costa da Turquia
    2:21