Mundo

Israel ataca postos militares na Faixa da Gaza

A artilharia e a aviação israelitas atacaram esta quinta-feira infraestruturas militares da Faixa de Gaza, em resposta a projéteis lançados sobre o território israelita, um dia depois de os Estados Unidos da América terem reconhecido Jerusalém como capital do Estado hebreu.

O exército israelita revelou que as ações militares visaram "dois pontos militares" na faixa de Gaza, em retaliação aos três projéteis lançados sobre Israel.

Um dos projéteis caiu em território israelita, enquanto os outros dois no enclave palestino fronteiriço ao sul de Israel, comunicou o exército, que considerou o Hamas "responsável por atividades hostis perpetradas contra Israel a partir de Gaza".

Os lançamentos dos projéteis foram realizados no mesmo dia em que milhares de palestinianos protestaram contra a decisão do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciada na quarta-feira, de reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel.

Muitos palestinianos aproximaram-se da fronteira de Gaza para protestar contra a decisão de Trump, que também envolve a transferência da embaixada dos Estados Unidos de Telavive para Jerusalém, e que motivaram uma intervenção das forças armadas israelitas.

O porta-voz do serviço de emergências, Erab Fuqaha, referiu que 24 palestinianos ficaram feridos em incidentes com soldados israelitas, que utilizaram balas reais e de borracha.

Fuqaha revelou que foram assistidas 108 pessoas, entre as quais 77 por inalação de gás lacrimogéneo, cinco com ferimentos provocados por balas reais, 19 em consequência de terem sido atingidos por balas de borracha e os restantes devido a golpes e contusões.

Ismail Haniyeh, líder político do movimento islâmico, pediu hoje, em Gaza, o início da terceira intifada e advertiu que Trump "se arrependeria de sua decisão" e pediu um encontro entre todas as partes palestinianas para discutir a situação e concordar as medidas políticas a seguir em relação aos eventos.

Lusa

  • A SIC foi conhecer o homem que ajuda a encontrar crianças açorianas levadas para os EUA
    1:07
  • 3º dia de interrogatórios no TIC do Porto por suspeitas no Turismo do Porto e Norte
    1:03

    País

    Pelo terceiro dia consecutivo, continuam a ser ouvidos os arguidos da Operação Éter, que investiga um alegado esquema de corrupção orquestrado pelo presidente do Turismo do Porto e do Norte que terá lesado o Estado em cinco milhões de euros. Esta manhã começou a prestar depoimento uma jurista da instituição que diz que a sua detenção foi completamente descabida e exagerada.

  • EUA rasgam acordo nuclear com a Rússia assinado antes da guerra fria
    1:33
  • As imagens da festa privada que acabou mal nos EUA: piso colapsa e arrasta dezenas de jovens
    0:31