Mundo

Cientistas criaram um novo tipo de "pele eletrónica"

Cientistas nos Estados Unidos criaram um novo tipo de "pele eletrónica" totalmente reciclável com aplicações na medicina ou robótica. A "pele" consiste num polímero que contem nanopartículas de prata, que lhe conferem força, estabilidade química e condutividade elétrica.

Sensores embutidos medem a pressão, temperatura, humidade e fluxo do ar.

"O que é único é que a composição química do polímero que usamos permite à 'e-pele' ser auto-regeneradora e completamente reciclável", afirmou o investigador Jianliang Xiao, da universidade do Colorado, autor do estudo publicado no boletim científico Science Advances.

Outra vantagem da pele eletrónica é que pode adaptar-se a superfícies curvas, como braços humanos ou mãos robóticas.

Quando se quer reciclá-la, é mergulhada numa solução que decompõe o polímero em elementos mais essenciais que são solúveis em etanol, deixando as partículas de prata no fundo da solução.

Lusa

  • Centeno lembra que Grécia terá mais responsabilidades com fim do resgate
    1:05
  • Temperaturas altas colocam Portugal Continental sob aviso amarelo
    4:23
  • Governo quer retirar concessão de autoestradas à empresa que geria ponte de Génova
    1:50
  • Portugueses são dos que menos gastam em viagens turísticas

    Economia

    Os portugueses são dos cidadãos europeus que menos gastam em deslocações de turismo, ao desembolsar em média 136 euros por viagem turística, menos de metade da média da União Europeia, de 336 euros, revelam dados divulgados esta segunda-feira pelo Eurostat.

  • Sul-coreanos atravessam fronteira do norte para reencontro histórico
    1:07