Mundo

EUA de novo em "shutdown", Senado aprova proposta orçamental para pôr Governo federal a funcionar

Joshua Roberts

O Senado norte-americano aprovou hoje a proposta orçamental necessária para pôr o Governo federal em funcionamento e reencaminhou-a para a Câmara dos Representantes. A votação deste acordo orçamental fundamental foi feita depois de um novo "shutdown" ter entrado em vigor às 00:00 (05:00 de Lisboa), após a suspensão do debate na quinta-feira à noite, no Senado.

Perante a oposição de um senador à proposta de lei, que permite o financiamento do Estado até 2019, a câmara alta do Congresso decidiu suspender a sessão e retomá-la às 00:01 de sexta-feira, para fazer uma nova votação antes de serem horas de os funcionários públicos federais iniciarem o seu dia de trabalho.

É a segunda vez em três semanas que há uma paralisação parcial das instituições do Estado federal ("shutdown") que, sem financiamento, não dispõe de dinheiro e tem de pôr "tecnicamente" no desemprego centenas de milhares de funcionários públicos, dos serviços fiscais aos parques nacionais.

A Administração Trump viveu o seu primeiro "shutdown" a 20 de janeiro deste ano - exatamente um ano após a investidura de Donald Trump como Presidente dos Estados Unidos -, por falta de acordo sobre o orçamento. Durou três dias.

Desta vez, depois da aprovação pelo Senado, o texto deverá agora ser votado na Câmara dos Representantes, onde também tem opositores, e terminar na Sala Oval, para promulgação pelo Presidente.

A paralisação poderá, portanto, ser de breve duração, mas é ilustrativa da polarização dos senadores e congressistas, depois de a proposta ter recebido o apoio dos líderes republicanos e democratas das duas câmaras parlamentares.

Lusa

  • Trump completa um ano de mandato com governo paralisado e serviços fechados
    2:12

    Mundo

    O Senado dos EUA tem de aprovar uma extensão do orçamento por quatro semanas, até 16 de fevereiro. Enquanto não se chega a acordo, os funcionários considerados "não essenciais" deverão ficar em casa, tal como aconteceu no anterior "shutdown", em outubro de 2013, que durou 16 dias. De acordo com a federação americana dos funcionários governamentais (AFGE), mais de 850 mil pessoas arriscam o "desemprego técnico" e mais de um milhão de outras poderão vir a trabalhar sem receber. No total, mais de 3,5 milhões de empregados civis e militares serão afetados, segundo dados oficiais.

  • Polícia britânica acredita que ataque junto ao Parlamento foi ato isolado
    2:15
  • Donald Trump acusa ex-assessora de ser "um cão"

    Mundo

    O Presidente norte-americano Donald Trump aumentou esta terça-feira o tom do confronto com a antiga assessora Omarosa Manigault Newman, que chegou a ser a afro-americana com estatuto mais elevado na Casa Branca, designando-a como "esse cão!".