Mundo

Coreias do Norte e Sul combinam primeiro encontro em 10 anos

Mapa da Coreia do Norte no obbservatório do lado sul-coreano

Lee Jin-man / AP

As duas Coreias acordaram realizar uma cimeira na sua fronteira no final de abril, anunciou hoje um emissário sul-coreano após se ter encontrado com o líder norte-coreano Kim Jong-un. Pyongyang prometeu suspender os ensaios nucleares durante o período de diálogo.

A cimeira realizar-se-á na localidade de Panmunjom, no meio da zona desmilitarizada (DMZ) que separa a Coreia do Norte da Coreia do Sul, declarou o emissário Chung Eui-yong, que é conselheiro para a segurança do Presidente Moon Jae-in.

As Coreias também acordaram abrir uma linha de comunicação de emergência entre os seus dirigentes e a cimeira será precedida de uma conversa telefónica entre Kim Jong-un e Moon Jae-in, precisou.

Segundo Chung Eui-yong, a Coreia do Norte prometeu suspender os seus ensaios nucleares e de mísseis enquanto durar o diálogo inter-coreano.

O conselheiro de Moon Jae-in disse ainda que a Coreia do Norte expressou a vontade de se desnuclearizar desde que a segurança do país seja garantida.

Esta será a terceira cimeira entre os dirigentes dos dois países desde o final da guerra da Coreia (1950-1953), tendo as anteriores ocorrido em 2000 e 2007.
Chung e os diplomatas sul-coreanos que o acompanharam a Pyongyang são os mais altos responsáveis do Sul a deslocarem-se à Coreia do Norte nos últimos 10 anos.

A visita ocorre após uma notável aproximação ocasionada pelos Jogos Olímpicos de Pyeongchang.

O encontro dos emissários com Kim Jong-un durou mais de quatro horas e a equipa do Sul deve partir na quarta-feira para Washington, para dar informações sobre a visita.

  • Fogo em sucata em Gondomar em fase de rescaldo "complicada" devido a materiais inflamáveis
    2:47

    País

    O incêndio que deflagrou hoje numa sucata em São Pedro da Cova, Gondomar, está em fase de rescaldo, que se prevê complicada devido à existência de materiais "altamente inflamáveis", explicou o comandante dos bombeiros de São Pedro da Cova. Uma fábrica de móveis nas imediações teve de ser evacuada a meio da manhã por precaução, mas não obrigou ao encerramento de nenhuma escola, ao contrário do que incialmente se tinha avançado.

  • "Foi uma leviandade completa", Rio acusa Governo no processo de transferência do Infarmed
    0:34
  • Taxistas acusam o Governo de falta de respeito e mantêm protesto há 7 dias
    2:20
  • Andy Murray protagoniza momento caricato numa sessão fotográfica na China
    0:38
  • Polícia ainda não tem pistas sobre homícidio de emigrante português no Brasil
    0:50