Mundo

5 anos de Papa Francisco

Jorge Silva

O Papa Francisco, o primeiro chefe da Igreja católica oriundo do hemisfério sul, comemora esta terça-feira cinco anos da sua eleição, num pontificado marcado pela simplicidade e proximidade na abordagem de dramas sociais.

Esta postura tem suscitado entusiasmo ou curiosidade, até junto dos não católicos, mas também oposições na Igreja.

Francisco foi o nome adotado pelo argentino Jorge Mario Bergoglio, 81 anos, depois de ser eleito papa, numa escolha considerada surpreendente, já que estava entre os cardeais mais velhos do conclave.

Quando apareceu em 13 de março de 2013 na varanda da basílica de São Pedro, no Vaticano, ao som dos gritos da multidão "Longa vida ao Papa!", Francisco, o primeiro papa jesuíta, pediu "irmandade" entre os 1,2 mil milhões de católicos, rezou juntamente com a multidão na praça de São Pedro e afirmou que os cardeais "tinham ido ao fim do mundo" para o eleger.

Os múltiplos escândalos de pedofilia e as sucessivas denúncias de abusos de crianças por sacerdotes, assim como "a corrente de corrupção" que afirmou existir no seio da Cúria foram alguns dos principais desafios internos que Francisco teve de enfrentar.

Portugal recebeu, em 2017, a visita de Francisco, que, embora sem uma relação conhecida com o Santuário de Fátima, chegou como peregrino e canonizou os pastorinhos Jacinta e Francisco Marto.

Lusa