Mundo

Facebook censura os seios d'"A Liberdade guiando o povo" de Delacroix

A última "vítima" da censura da rede social foi o quadro do século XIX de Eugène Delacroix "A Liberdade guiando o povo", quadro icónico que evoca os ideais revolucionários franceses. O Facebook pediu entretanto desculpa pelo "erro".

O encenador de teatro Jocelyn Fiorina queria promover à sua última peça em cena em Paris e utilizou o quadro de Delacroix no Facebook. A rede social não gostou de ver uns seios nus e bloqueou o post.

"Um quarto de hora após a publicação, o controlo [do Facebook] bloqueou-a dizendo não ser possível difundir uma imagem de nudez", contou o encenador à agência France Press.

Fiorina voltou à carga publicando o mesmo quadro mas com uma faixa sobre os seios da "Liberdade" com as palavras: "Censurado pelo Facebook". Desta vez a imagem não foi censurada.

Nudez "não é aceitável mesmo num quadro do século XIX"

O encenador tinha já tentando usar a mesma obra por duas vezes em junho do ano passado para promover a sua peça de teatro no Facebook. Sem sucesso.

"Os moderadores do Facebook foram inflexíveis dizendo que, mesmo num quadro do século XIX, [a nudez] não era aceitável", recorda Fiorina.

O icónico quadro - e os seios nus - andaram durante anos nas mãos dos franceses, e de todos os que visitavam França, quando circulava a nota de 100 francos, antes da adesão do país ao euro.

Perante os protestos de Fiorina, o Facebook veio este domingo dizer que tinha errado. "A obra 'A Liberdade guiando o povo' tem lugar no Facebook e está conforme as nossas regras publicitárias".

"Para proteger a integridade do nosso serviço, nós verificamos milhões de imagens publicitárias todas as semanas e, por vezes, cometemos erros. Pedimos desculpa por este erro ao utilizador em causa", desculpou-se o Facebook.

A Vénus pré-histórica que o Facebook considerou "pornográfica"

Este não é um caso inédito da censura cega do Facebook com obras de arte.

Atualmente a Justiça francesa tem em mãos o caso de um utilizador que acusa o Facebook de ter encerrado a sua conta por ter publicado uma imagem do quadro "A origem do Mundo" de Gustave Courbet que mostra o sexo de uma mulher.

Outra "vítima" recente foi uma escultura pré-histórica, a Vénus de Willendorf com 30.000 anos, considerada "perigosamente pornográfica".

  • Enfermeiros iniciam greve de dois dias 

    Economia

    Os sindicatos dos enfermeiros deram início, à meia noite, a dois dias de greve nacional que visa pressionar o Governo a apresentar uma contraproposta ao diploma da carreira de enfermagem.

  • Novos e-mails põem em causa valores da saída de Garay do Benfica
    2:44

    Desporto

    O pirata informático suspeito de ter desviado centenas de e-mails do Benfica revelou mais material, alegadamente comprometedor. Segundo uma mensagem alegadamente trocada entre Luís Filipe Vieira e Paulo Gonçalves, publicada esta quarta-feira na internet, o negócio da venda de Garay poderá ter sido feito por 13 milhões de euros e não por 6, como foi anunciado.

  • Saiba como escolher o melhor Plano Poupança Reforma
    8:32
  • Este pode ser um natal de sonho para os fãs de Harry Potter

    Mundo

    Os estúdios da Warner Brothers, em Londres, vão abrir as portas na época natalícia. Entre os dias 10 e 12 de dezembro o grande salão de Hogwarts servirá de cenário para um jantar que promete transportar os fãs de Harry Potter até ao imaginário de J.K. Rowling. Os bilhetes estão disponíveis a partir da próxima semana.

  • A imagem que está a emocionar a Índia

    Mundo

    A fotografia de um menino a despedir-se do pai, que morreu durante um acidente de trabalho, está a emocionar a Índia. Tanto que, num só dia, os internautas conseguiram angariar mais de três milhões de rupias (cerca de 36 mil euros) para ajudar a família.

    SIC

  • "Eu chupo e você?", a campanha contra as palhinhas que já dão multas no Brasil
    2:36

    Mundo

    A partir de hoje, o Rio de Janeiro vai multar até 340 euros todos os comerciantes que ofereçam palhinhas de plástico aos clientes. Em caso de reincidência, as multas podem ultrapassar os 1200 euros. Isto meses depois de ter sido lançada no país a campanha #paredechupar para eliminar os “canudos de plástico” que podem demorar mais de 400 anos a degradar-se. Só na União Europeia, são usadas 36,4 mil milhões de palhinhas todos os anos. Em todo o mundo, os números devem chegar aos mil milhões por dia.