Mundo

Macron diz que Conselho Segurança deve retomar iniciativa relativa às armas químicas

FRANCOIS GUILLOT / POOL

O presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou este sábado que, depois dos ataques dos EUA, Reino Unido e França na Síria, o Conselho de Segurança da ONU deve "retomar a iniciativa" política, humanitária e relativa às armas químicas.

Macron, que falou hoje telefonicamente com o presidente norte-americano, Donald Trump, e com a primeira-ministra britânica, Theresa May, "congratulou-se com a excelente coordenação" entre as forças dos três países e com o resultado dos ataques, que "atingiram os seus objetivos", segundo um comunicado da presidência francesa.

"O Conselho de Segurança das Nações Unidas deve agora retomar, com unidade, a iniciativa nas vertentes política, química e humanitária na Síria, para garantir a proteção das populações civis e para que o país encontre finalmente a paz", lê-se no texto.

Os EUA, a França e o Reino Unido realizaram hoje uma série de ataques com mísseis contra três alvos associados à produção e armazenamento de armas químicas na Síria.

O ataque foi uma retaliação pelo alegado ataque com armas químicas lançado pelo regime sírio em 07 de abril contra a cidade rebelde de Douma, em Ghouta Oriental, nos arredores de Damasco, no qual morreram pelo menos 40 pessoas.

Lusa

  • Morte de português no Brasil poderá ter sido uma execução
    1:25
  • Canhões, porcelana e pimenta encontrados nos restos da Nau da Carreira da Índia
    3:54