Mundo

Cientistas associam novo processo de degelo antártico a subida rápida do nível do mar

Os investigadores sublinham que a única solução para contrariar o grave impacto do degelo da Antártida é reduzindo a emissão de gases nas próximas décadas. (Arquivo)

© NASA NASA / Reuters

Cientistas associaram um novo processo de derretimento do gelo antártico à aceleração da subida do nível do mar, num estudo publicado esta quarta-feira na revista Science Advances e realizado pela Universidade da Tasmânia, na Austrália.

O estudo concluiu que o gelo derretido torna a camada superficial do oceano menos salgada e menos densa, fazendo com que 'flutue' sobre as camadas inferiores interrompendo a circulação de água fria para as zonas mais profundas, o que resulta na retenção de calor e consequente aceleração do degelo.

"Este aumento do degelo leva à aceleração da subida do nível do mar", afirmou, citado em comunicado da universidade, o coordenador do estudo, Alessandro Silvano.

A investigação sugere, ainda, que a água resultante do degelo também reduz a formação de água fria e densa em algumas regiões em redor da Antártida, diminuindo as correntes que permitem ao oceano absorver (e armazenar) calor e dióxido de carbono da atmosfera.

"Combinados, os dois processos que identificámos alimentam-se mutuamente para acelerar ainda mais o aquecimento global", sustentou Alessandro Silvano.

O investigador disse que um mecanismo semelhante foi proposto para explicar a subida rápida do nível do mar até cinco metros por século, no fim do último período glaciar, há cerca de 15 mil anos.

Lusa

  • Recusado pedido de detenção de Duarte Lima
    1:26

    País

    Um juiz das varas criminais não aceitou um pedido do Ministério Público para que Duarte Lima fosse detido nos próximos dias. A existência de recurso, ainda pendente no Tribunal Constitucional, terá condicionado a decisão do juiz.