Mundo

Nova ronda de conversações de paz no Sudão do Sul adiada sem explicações

Mohamed Nureldin Abdallah

A Comissão Conjunta de Avaliação e Fiscalização sobre o conflito que dura há cinco anos no Sudão do Sul indicou esta quinta-feira, sem adiantar explicações, que a próxima ronda de conversações de paz foi adiada, sem avançar quaisquer datas.

As conversações deveriam decorrer na próxima semana na Etiópia, mediadas por sete países da região. Numa declaração, a comissão conjunta indicou que as novas datas serão divulgadas em breve pela mediação.

No entanto, fonte diplomática ligada ao processo, citada pela agência noticiosa Associated Press (AP), indicou que as razões do adiamento se prendem com o facto de as partes em conflito terem ainda "posições muito divergentes", estando a comissão conjunta a tentar que a nova ronda negocial ocorra de 2 a 6 de maio.

O Sudão do Sul acedeu à independência do Sudão em 2011, mas, dois anos mais tarde, o país mergulhou numa guerra civil que já provocou dezenas de milhares de mortos e mais de quatro milhões de deslocados, bem como a dependência da ajuda alimentar de mais de metade dos 12 milhões de habitantes.

A guerra civil sul-sudanesa opõe as forças leais ao Presidente Salva Kiir, da etnia dinka, às do vice-presidente Riek Machar, da tribo nuer.

As duas partes assinaram um acordo de cessar-fogo em agosto de 2015, permitindo a formação de um Governo de unidade nacional. No entanto, em julho de 2016, desentendimentos entre Kiir e Machar levaram ao reacendimento do conflito.

Lusa