Mundo

Presidente do Uganda quer proibir sexo oral

© James Akena / Reuters

O Presidente do Uganda emitiu um aviso público durante um conferência de imprensa anunciando que vai banir a prática de sexo oral no país. Yoweri Museveni justifica o ato, explicando que "a boca serve para comer".

O presidente do país acusa os "estrangeiros" de importarem a prática para o país, culpando-os por convencerem os ugandenses a praticarem sexo oral "uns aos outros".

"A boca não serve para sexo", disse em declarações à imprensa, acrescentando que "nós sabemos a 'morada' do sexo, sabemos onde está".

Em 2014, Yoweri já se tinha manifestado sobre o assunto, afirmando que o sexo oral provoca parasitas "no estômago".

No mesmo ano, tornou crime a não denúncia de pessoas homossexuais. No Uganda é ilegal ser-se gay, e em breve poderá mesmo tornar-se crime a prática de sexo oral.

O presidente, conhecido pelas decisões polémicas, está à frente do país há mais de 30 anos.