Mundo

Refugiados do Aquarius seguem para Espanha com ajuda de dois navios italianos

Kenny Karpov / AP

Os migrantes resgatados no mediterrâneo seguirão para Valência, em Espanha, a bordo no navio Aquarius e de dois navios italianos, confirmou a organização não governamental SOS Mediterranée. No Aquarius que navega no Mar Mediterrânio estão 629 migrantes.

Os migrantes serão transportados por um barco da Guarda Costeira italina, um navio da Marinha Italiana e o Aquarius até Valência. Ainda não há informações em relação à hora de partida.

Espanha tinha-se oferecido ontem para acolher os migrantes para "evitar uma tragédia humanitária". No entanto, um responsável pelas operações marítimas da organização não-governamental SOS Mediterranée, Antoine Laurent, explicou à agência noticiosa Associated Press que chegar a Valência, a 750 milhas naúticas (1.400 quilómetros de distância) da atual posição do navio, "não é possível com 629 pessoas a bordo".

O responsável disse ainda que o navio tinha de ser reabastecido no mar, "o que não é fácil de organizar". O Aquarius já foi reabastecido esta manhã por um navio italiano e os migrantes receberam mantimentos da guarda-costeira italiana.

A embarcação, que só tem capacidade para 500 passageiros, estava sobrelotada com 629 ocupantes. Entre os migrantes, estão sete mulheres grávidas, 11 crianças e 123 menores desacompanhados.

A decisão do Governo de Madrid surgiu depois do desembarque ter sido recusado pelos Governos de Itália e de Malta.

  • A "pena maior" de Constantino Oliveira
    26:03
  • Pilotos avistam OVNI ao largo da costa irlandesa

    Mundo

    Vários pilotos avistaram objetos luminosos que se moviam rapidamente ao largo da costa da Irlanda. O incidente ocorreu na sexta-feira e já está a ser investigado pela Autoridade de Aviação Irlandesa.

  • "Fomos o segundo país da UE com maior crescimento de investimento estrangeiro"
    2:00

    País

    António Costa respondeu indiretamente ao Conselho de Finanças Públicas, que considera que o Estado não se está a precaver contra eventuais futuras crises. O primeiro-ministro argumentou que Portugal é o terceiro país da Europa onde a exportações mais cresceram e o segundo com maior crescimento do investimento estrangeiro, demonstrando a capacidade de atração da economia portuguesa.

  • CNN vs. Donald Trump
    1:50