Mundo

OPAQ confirma utilização de gás Sarin nos ataques de março na Síria

A Organização para a Proibição de Armas Químicas confirmou esta quarta-feira, após análises em laboratório, a utilização de gás Sarin nos ataques na Síria em março de 2017.

As conclusões reveladas esta quarta-feira apontam para a utilização de gás Sarin contra a população civil. Este gás ataca o sistema nervoso central e é considerado uma arma de destruição massiva pela ONU.

Segundo a agência Reuters, a organização concluiu ainda que "é muito provável que cloro também tenha sido usado como arma química nos ataques ao Hospital Ltamenah e arredores a 25 de março de 2017".

A Organização para a Proibição das Armas Químicas chegou a estas conclusões depois de analisar os relatos das testemunhas e de conhecer os resultados das análises às amostras recolhidas na região.

  • Esquadras da PSP sem carros nem polícias
    12:43
  • "Levei 9 anos para reparar erros do tribunal"
    1:06