Mundo

Escolas fechadas e voos cancelados com a aproximação de tufão a Taiwan

RITCHIE B. TONGO

Mais de 2.000 pessoas foram retiradas em Taiwan por causa do tufão Maria, que se aproxima da antiga Formosa, com previsão de chuvas torrenciais na ilha, onde centenas de escolas foram fechadas e voos acabaram por ser cancelados.

O tufão está a 200 quilómetros a leste da cidade costeira de Yilan, nordeste da ilha, com rajadas de vento de 173 quilómetros por hora registadas às 22:00 locais, 14:00 em Lisboa, indicou o serviço de meteorologia de Taiwan.

O impacto mais forte do tufão é esperado a partir da tarde desta terça até quarta-feira de manhã, com chuvas diluvianas que podem atingir 500 milímetros em certas zonas, segundo a mesma fonte.

As televisões locais exibiram imagens de soldados que, numa região montanhosa, procuraram ajudar os habitantes a deixar as suas casas.

"Ordenei já às tropas que estejam em prontidão" para levar o socorro, declarou o Presidente Tsai Ing-wen, na página pessoal na rede social Facebook, exortando os habitantes "a prepararem-se o mais possível" para a chegada do tufão.

As autoridades tomaram medidas contra possíveis inundações e deslizamentos de terreno.

O primeiro-ministro de Taiwan, William Lai, apelou às autoridades e aos habitantes a "estarem vigilantes" quanto ao primeiro tufão da época em Taiwan, pedindo que permaneçam em casa e cooperem com as autoridades.

Por precaução, escolas e escritórios fecharam esta terça-feira, após o meio-dia, em oito cidades, entre as quais Yilan, onde fortes vagas começaram a bater na costa, disseram as autoridades.

No setor do transporte aéreo, 175 voos internacionais e 118 voos internos foram anulados, de acordo com o centro de situações de urgência.

Taiwan é frequentemente assolada por tufões no verão. No ano passado, uma centena de pessoas ficaram feridas na passagem do tufão Nesat, que se abateu sobre a ilha, provocando inundações e importantes roturas de eletricidade.

Lusa

  • Fernando Pinto suspeito de gestão danosa
    1:28

    Economia

    Fernando Pinto foi constituído arguido por suspeitas de gestão danosa. O processo está ligado à compra da VEM - a Varig Engenharia e Manutenção no Brasil - e envolve outros cinco membros da equipa do ex-presidente da TAP, que diz aguardar serenamente o desfecho do processo, uma vez que ainda não existe acusação.

  • Portugueses presos na Venezuela levam diplomacia a Caracas
    2:03

    Mundo

    O secretário de Estado das Comunidades Portugueses garante que estão a ser feitas todas as diligências para apoiar os portugueses entre os 34 presos na Venezuela. São gerentes de supermercado e foram detidos por alegada especulação na fixação de preços.