Mundo

Arqueólogos descobrem templo antigo no México devido a sismo

Uma equipa de arqueologistas que investigava uma pirâmide mexicana em busca de estragos provocados pelo sismo de setembro acabou por descobrir, há dias, vestígios de um templo antigo.

O templo encontra-se dentro da pirâmide de Teopanzolco, no estado de Morelos, a cerca de 70 quilómetros a sul da Cidade do México. A estrutura remonta ao ano de 1150 e terá pertencido ao povo asteca Tlahuica, que vivia na zona nesta altura. Com seis metros por quatro, seria dedicada a Tláloc, o deus da chuva na mitologia deste povo.

Entre os destroços foram encontrados um aparelho para queimar incenso e pedaços de cerâmica. A descoberta foi feita por cientistas do Instituto Nacional de Antropologia e História do México (INAH), que utilizavam um radar para verificar possíveis danos à pirâmide na sequência do sismo de 7,1 na escala de Richter que abalou o país em setembro.

"A pirâmide sofreu um considerável rearranjo do núcleo da sua estrutura", explica a arqueóloga Barbara Koniecza, citada pela BBC.

Segundo estudos, os Tlahuica viveram em várias pequenas cidades no que é o atual estado de Morelos. Acredita-se que a estrutura da pirâmide date ao século XIII, tendo por isso sido construída por cima deste tempo antigo, uma prática comum para os Tlahuica, explicou a especialista.

  • Taxistas cumprem terceiro dia de protesto contra a "lei Uber"
    2:29
  • Mais de uma centena de mortos em naufrágio no Lago Vitória, na Tanzânia
    1:19
  • Sporting vence Qarabag

    Liga Europa

    O Sporting estreou-se esta quinta-feira na fase de grupos da Liga Europa com uma vitória em Alvalade, sobre o Qarabag, por 2-0.

  • Marcelo despediu-se da "fascinante aventura" do ensino
    2:51
  • Outubro é o momento da verdade nas negociações do Brexit
    1:37

    Brexit

    Os líderes europeus dizem que outubro é o momento da verdade nas negociações do Brexit. Prometem empenho mas esperam também novas propostas de Theresa May. E só se houver progressos será marcada uma reunião extraordinária em novembro para formalizar o acordo. A reportagem é dos correspondentes da SIC Susana Frexes e Bruno Andrade.