Mundo

Governo português saúda escolha de Bachelet como Alta-Comissária da ONU

Darren Ornitz

O Governo português congratulou-se esta sexta-feira com a nomeação da ex-Presidente do Chile, Michelle Bachelet, para o cargo de Alta-Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, indicou o Ministério dos Negócios Estrangeiros em comunicado.

"Michelle Bachelet tem um notável percurso de intervenção em defesa dos direitos humanos quer no seu país de origem, quer na esfera internacional, que constitui uma inegável mais-valia para o desempenho das suas novas funções", sublinhou o MNE.

A Assembleia-Geral das Nações Unidas aprovou hoje oficialmente a nomeação, anunciada na quarta-feira, de Michelle Bachelet como Alta-Comissária para os Direitos Humanos.

Por unanimidade e aclamação, os 193 Estados com assento na Assembleia-Geral apoiaram Bachelet, nomeada esta semana pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, após consultas com os grupos regionais.

Michelle Bachelet, de 66 anos, assumirá o cargo a 1 de setembro, por um período de quatro anos, sucedendo ao diplomata jordano Zeid Ra'ad Al-Hussein, cujo mandato termina no fim deste mês.

No comunicado, o MNE sublinha ainda o "firme compromisso" do Governo português "com um sistema multilateral forte e eficaz de proteção dos direitos humanos", indicando que "apoiará Michelle Bachelet enquanto Alta Comissária para os Direitos Humanos, cargo fundamental no sistema de direitos humanos das Nações Unidas".

Por último, o Governo português felicita o atual Alto-Comissário, Zeid Al-Hussein, a quem agradece "a determinação demonstrada na promoção dos direitos humanos ao longo do seu mandato".

Lusa

  • Marine Le Pen de fora da Web Summit de Lisboa
    1:41
  • O meu corpo tem muitos anos
    27:49
  • 301 padres terão abusado de mais de 1.000 crianças nos EUA
    2:04

    Mundo

    Mais de 300 padres católicos do estado da Pensilvânia, nos EUA, são acusados do abuso sexual de mais de 1.000 crianças e jovens, ao longo de 70 anos. A acusação foi ontem divulgada, depois de dois anos de investigação às várias dioceses do estado.

  • Olhá Festa em Idães
    7:17